Coronavírus

Portugal regista mais 67 mortes e 1.940 novos casos de covid-19

Armando Franca

Os últimos dados da DGS.

Saiba mais...

Portugal regista esta sexta-feira mais 67 mortes e 1.940 novos casos de covid-19, segundo o balanço diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde 1 de janeiro, dia em que morreram 66 pessoas, que Portugal não registava um número de mortes semelhante ao de hoje.

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza um total de 15.821 óbitos e 794.769 contágios pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, estando esta sexta-feira ativos 87.082 casos, menos 2.531 em relação a quinta-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas em enfermaria 3.584 pessoas, menos 235 que no dia anterior, e 669 em cuidados intensivos, menos 19 face ao dia anterior.

Nos últimos três dias saíram do internamento 1.248 doentes, dos quais 115 das unidades de cuidados intensivos.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 100.282 contactos, menos 7.271.

Os dados desta sexta-feira revelam ainda que mais 4.404 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 691.866 o número de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

Há 19 dias consecutivos que o número de recuperados supera o de novas infeções.

Dados por região

Relativamente às 67 mortes registadas nas últimas 24 horas, 38 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 13 na região Centro, 10 na região Norte, 4 no Alentejo e duas na região do Algarve.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 975 novas infeções, contabilizando-se até agora 299.988 casos e 6.559 mortes.

A região Norte registou 403 novas infeções por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas e desde o início da pandemia já contabilizou 323.885 casos de infeção e 5.122 mortes.

Na região Centro, registaram-se mais 287 casos, acumulando-se 113.635 infeções e 2.816 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 49 casos, totalizando 28.068 infeções e 915 mortos desde o início da pandemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 75 novos casos, somando 19.704 infeções e 322 mortos.

A Madeira registou 140 novos casos. Esta região autónoma contabiliza 5.782 infeções e 59 mortes devido à covid-19.

Nos Açores foram registados 11 novos casos nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, a região autónoma soma 3.707 infeções e 28 mortos.

Dados por género e faixa etária

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal, pelo menos, 359.268 homens e 435.230 mulheres, referem os dados da DGS, segundo os quais há 271 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.263 eram homens e 7.558 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de 15.821 mortes, 10.516 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.314 com idades entre os 70 e os 79 anos e 1.380 tinham entre os 60 e os 69 anos.

Pedro Nunes

Portugal é o 36.º país do mundo com mais pessoas vacinadas

Portugal ocupa a 36.ª posição na lista dos países com mais pessoas vacinadas, apesar das doses serem escassas. São 5,5 doses inoculadas por cada cem habitantes.

Nos últimos sete dias foram vacinadas uma média de 22 mil pessoas por dia. Ao todo, já estão vacinados 556.331 portugueses. No entanto, só 209.318 têm a vacina completa, ou seja, com a toma das duas doses.

Israel, Emirados Árabes Unidos e Reino Unido são os países com mais vacinados.

Governo afasta a hipótese de desconfinamento "em breve"

A Ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afasta a hipótese de um desconfinamento em breve, apesar dos números de infetados e internados com covid-19 estarem a diminuir.

ANTÓNIO COTRIM

"É preciso acautelar a capacidade de resposta do SNS, nomeadamente o número de internamentos e em particular em cuidados intensivos e também o número de óbitos. Nestas duas variáveis ainda estamos muito longe de números que possa permitir começar a avançar para a concretização de um desconfinamento em breve", afirmou.

Apesar de considerar que os números de infetados mostram "o sucesso das medidas" em vigor, a governante recordou que este não é o único fator a ter em conta, uma vez que é preciso analisar a capacidade de resposta do SNS e o número de óbitos, variáveis que, apesar da tendência de redução, não permitem antecipar um desconfinamento para breve.

Mariana Vieira da Silva alertou para a questão da gestão de expectativas dos portugueses e referiu que, ao dia de hoje, Portugal tem 680 pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos.

Assim, o Governo mantém a linha discursiva do primeiro-ministro, António Costa, que precisamente há uma semana, também numa conferência de imprensa após o Conselho de Ministro, defendeu que este não era ainda o momento do país se concentrar no desconfinamento, mas sim continuar a cumprir as regras do confinamento.

LINKS ÚTEIS

MAPA COM OS CASOS A NÍVEL GLOBAL