Coronavírus

Companhias aéreas recorrem a aviões maiores para levar turistas de regresso ao Reino Unido

Os turistas britânicos querem chegar ao país antes de terça-feira para evitar a quarentena.

Saiba mais...

A saída de Portugal da lista britânica dos países seguros está a levar muitos turistas a antecipar o regresso de forma a evitar a quarentena. A partir de sábado, as principais companhias aéreas vão trocar a frota normal por aviões maiores.

No aeroporto de Faro, o movimento ainda é normal, mas nos bastidores a procura pelo regresso antecipado ao Reino Unido já começou. Um número indeterminado de turistas está decidido a encurtar as férias para assegurar voo antes de terça-feira, período a partir do qual estarão sujeitos a 10 dias de quarentena.

A operação de repatriamento está a obrigar as companhias aéreas a trocar a frota: em vez de aeronaves para 160 passageiros, a partir de sábado passarão a operar os chamados aviões pesados que têm o dobro da capacidade.

É de esperar um movimento de 10 a 12 mil passageiros, muito longe, ainda assim, do habitual no pico de um bom ano turístico.

A grande dor de cabeça será assegurar testes PCR a quem quer voltar ao Reino Unido mais cedo. Apesar de haver mais 120 postos de colheita, muitos turistas continuam a optar por recorrer aos do aeroporto. As estruturas estão a reforçar as equipas.

Na Madeira, onde o mercado britânico tem também um grande impacto, há registo de muitas reservas canceladas. O Governo regional queixa-se de falta de rigor científico da decisão do Reino Unido. Também o Algarve critica a posição e lembra que quase 100 mil turistas britânicos chegaram a Faro nos últimos 15 dias e só seis testaram positivo na hora de regressar a casa.

Veja mais: