Coronavírus

União Europeia define plano para facilitar turismo no verão

Canva

Acordo permite flexibilizar as restrições em viagens.

Saiba mais...

Os Estados-membros da União Europeia chegaram esta sexta-feira a acordo para flexibilizar as restrições em viagens durante o verão.

O acordo permite que os turistas totalmente vacinados evitem testes à covid-19 e quarentenas. Vai ser ainda possível alargar a lista de países da União Europeia a partir dos quais é seguro viajar, explicaram os responsáveis.

As restrições para outras pessoas devem basear-se no grau que o país de origem tem no controlo da covid-19.

Por regiões

À medida que aumenta a vacinação, houve alterações no sistema de semáforos. A "zona verde" deve ter menos de 25 casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

Não deve haver restrições para quem viajar de zonas verdes. Pode ser pedido um teste negativo a zonas laranjas e uma possível quarentena às vermelhas.

Os Estados-membros também podem impedir a entrada de viajantes de uma região com um aumento de variantes do coronavírus.

O sistema foi projetado para ser aplicado também a países do espaço Schengen que não são membros da União Europeia - Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça.

No entanto, apesar do plano conjunto, cada país pode definir as próprias regras.

Certificado Digital Covid-19 da União Europeia

As diretrizes surgem numa altura em que surge o Certificado Digital Covid-19 da União Europeia. O certificado vai poder ser pedido por quem já foi vacinado, por quem recuperou da doença ou por quem fez um teste que deu negativo. O documento vai conter um código QR e não será obrigatório para viajar. Será gratuito e reconhecido em todos os países da União Europeia.

O certificado vai ser reconhecido em toda a UE a partir de 1 de julho.

Vacinação na Europa

Cerca de um quarto dos adultos da União Europeia estão totalmente vacinados contra a covid-19.

Na União Europeia, as vacinas são enviadas em simultâneo para todos os Estados-membros e a distribuição das doses é proporcional ao número de habitantes de cada país. Ainda assim, os estados-membros estão a vacinar a diferentes velocidades.

Portugal tem andado quase sempre a par com a média dos 27 Estados-membros. Malta e Hungria destacam-se pela positiva dos restantes parceiros. Com o menor número de doses por habitante estão a Bulgária, Letónia e a Roménia.