Coronavírus

Covid-19. Incidência nacional acima dos 400 por 100 mil habitantes

Pedro Nunes

No entanto, o índice de transmissibilidade voltou a baixar ligeiramente.

Saiba mais...

A taxa de incidência nacional de infeções pelo SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias subiu esta sexta-feira para os 418 casos, mas o índice de transmissibilidade voltou a baixar ligeiramente no continente e a nível nacional.

No boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional da Saúde Doutor Ricardo Jorge, assinala-se que a taxa de incidência nacional subiu esta sexta-feira dos 409 em que estava na quarta-feira para 418,3 casos.

No continente, este indicador atingiu esta sexta-feira 430,8, aumentando em relação aos 421,3 verificados na quarta-feira.

Quanto ao Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa com o vírus - quer no continente quer a nível nacional desceu, mantendo a tendência descendente.

O Rt nacional desceu de 1,09 na quarta-feira para 1,07, sendo a descida mais acentuada no continente, onde se situa esta sexta-feira no 1,0.

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias - indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia - são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.

Nos concelhos de baixa densidade populacional, que representam mais de metade do território continental, a linha vermelha que obriga os municípios a recuar no plano de desconfinamento está fixada nos 480 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias e os restantes concelhos ficam sob alerta quando ultrapassarem os 240 casos por 100 mil habitantes no mesmo período.

Task Force quer mais de 70% da população com a vacinação completa na 2.ª semana de setembro

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, coordenador da Task Force da vacinação contra a covid-19, espera que mais de 70% da população tenha a vacinação completa entre 5 e 12 de setembro.

Os dados mais recentes mostram que 65,2% da população portuguesa tem uma dose da vacina. Assim, o objetivo de vacinar 70% da população com a primeira dose entre 8 de agosto e 15 de agosto pode vir a torna-se possível.

Perto de metade da população portuguesa (47,5%) já tem a vacinação completa.

Ouvido na Comissão Parlamentar de Saúde, esta sexta-feira, Gouveia e Melo diz que o processo tem tido altos e baixos devido à disponibilidade de vacinas.

Veja também: