Coronavírus

Regresso às aulas. Norma da DGS flexibiliza medidas nos contactos de baixo risco

A norma mantém muitas das regras aplicadas no ano anterior.

Saiba mais...

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou as regras para este novo ano letivo. O objetivo é reduzir o risco de transmissão do novo coronavírus nas escolas. Não há grandes mudanças, mas há medidas mais flexíveis nos contactos de baixo risco.

Para evitar que as turmas inteiras sejam obrigadas a ficar em casa sempre que há um caso positivo, a DGS quer flexibilizar nas medidas adotadas nos contactos de baixo risco. Nestas situações, se houver teste negativo, o isolamento profilático pode ser interrompido. Já nos contactos de alto risco, mantém-se o isolamento de 14 dias.

O uso de máscaras continua a ser obrigatório nas escolas a partir do 2.º ciclo e é fortemente recomendável para os alunos do 1.º ciclo. As crianças até aos cinco anos não devem usar máscara.

No arranque do novo ano letivo começam por ser testados os professores e funcionários, seguindo-se os alunos do ensino secundário. Desta vez, também os alunos do 3.º ciclo serão testados.

Nas salas de aula deve haver um distanciamento social de pelo menos um metro entre os alunos, as superfícies têm de ser desinfetadas e os espaços ventilados. Sempre que possível, devem ser privilegiadas as atividades ao ar livre.

As últimas recomendações da DGS para impedir que o vírus invada o ambiente escolar devem ser aplicadas no próximo ano letivo, que começa entre 14 e 17 de setembro.

► Veja mais: