Coronavírus

Covid-19: descida acentuada do índice de transmissibilidade pode não ser real

Covid-19: descida acentuada do índice de transmissibilidade pode não ser real
MR.Cole_Photographer

Na semana passada, o valor médio do Rt estava já abaixo de 1, mas agora desceu ainda mais para 0,63. Mas o que parece ser uma boa notícia pode não ser.

O Instituto Nacional Ricardo Jorge (INSA) estima um índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus de 0,63 a nível nacional, mas alerta que essa descida pode não corresponder à realidade, devido às recentes alterações na testagem à covid-19.

"Com a cessação do estado de alerta, a 1 de outubro de 2022, e consequente alteração da testagem, verificou-se uma descida acentuada do Rt que pode não corresponder a um decréscimo real", indica o relatório semanal do INSA sobre a evolução da pandemia em Portugal.

Segundo o relatório do INSA, o Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de cada pessoa portadora do vírus - baixou dos 0,98 para os 0,63 a nível nacional e a média a cinco dias de novas infeções diárias caiu das 2.644 para as 953.

Por regiões, apenas os Açores (1,03) e a Madeira (1,13) apresentam um Rt superior ao limiar de 1, tendo este indicador baixado significativamente para os 0,62 no Norte, 0,62 no Centro, 0,64 em Lisboa e Vale do Tejo, 0,75 no Alentejo e 0,70 no Algarve.

Em 29 de setembro, o Conselho de Ministros decidiu não renovar a situação de alerta em Portugal continental devido à pandemia de covid-19, tendo também terminado a vigência de diversas leis, decretos-leis e resoluções aprovadas no âmbito do combate à covid-19.

Na prática, além do isolamento deixar de ser obrigatório, os testes à covid-19 deixaram de ser prescritos através do SNS24 e passaram a ser comparticipados mediante prescrição médica, à semelhança de outras análises e meios complementares de diagnóstico.

O teste à covid-19 só é comparticipado a 100% quando prescrito por uma unidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A partir deste mês cessou também a atribuição de incapacidade temporária para o trabalho por covid-19 e o subsídio associado, que deixaram de ter um regime especial, passando a beneficiar do regime das outras situações de doença.

Últimas Notícias
Mais Vistos