Crise Migratória na Europa

Cerca de 1.500 migrantes em centro de acolhimento com capacidade para 200 na ilha de Lampedusa

Antonio Parrinello

Mais de 2.000 migrantes chegaram este fim de semana à ilha.

Um total de 1.500 migrantes estão amontoados no centro de acolhimento da ilha italiana de Lampedusa, com capacidade para cerca de duzentas pessoas, enquanto outros duzentos passaram a noite ao relento à espera de serem transferidos.

O mau tempo está a atrasar a transferência dos migrantes para outros centros no país ou para os navios de passageiros providenciados pelo Governo para os migrantes resgatados no Mediterrâneo Central cumprirem a quarentena devido à covid-19, segundo a imprensa local.

Mais de 2.000 migrantes chegaram este fim de semana à ilha, que fica ao sul do país e a poucos quilómetros da costa do norte de África, dos quais 200 foram transferidos de barco para um centro de receção em Ragusa, na Sicília, enquanto 300 ficaram em quarentena no navio de passageiros "Allegra".

No entanto, o outro navio de passageiros que deveria ter chegado à ilha para receber os migrantes não conseguiu fazê-lo devido ao mau tempo, o que também atrasou, pelo menos por enquanto, a chegada de barcos com migrantes.

A situação foi denunciada pelo presidente da Câmara da cidade, Totò Martello, que pediu ao Governo que tomasse medidas em face da esperada chegada em massa de migrantes durante o verão.

Segundo os meios de comunicação locais, a ministra do Interior italiana, Luciana Lamorgese, conversou com o primeiro-ministro de Itália, Mario Draghi, para organizar um encontro interministerial com os chefes de Defesa e Negócios Estrangeiros com o objetivo de planear ações compartilhadas diante de um verão que deverá ser difícil.

Até o momento, neste ano, quase 14.000 migrantes chegaram às costas italianas, um terço mais do que no mesmo período em 2020.