Eleições Legislativas

PSD: Rangel quer eleições no fim de fevereiro e anuncia Poiares Maduro como coordenador do programa

RODRIGO ANTUNES

Candidato ao PSD adianta que economista Fernando Alexandre será o responsável pela área económica.

O candidato à liderança do PSD Paulo Rangel defendeu esta quinta-feira a realização de eleições legislativas em 20 ou 27 de fevereiro, considerando que seria "um prazo racional, razoável e rápido".

"A data que nos parecia adequada e que em nada prejudicaria o país seria 27 ou 20 de fevereiro", afirmou, em conferência de imprensa na sequência do chumbo do Orçamento do Estado para 2022 na quarta-feira.

O candidato à liderança do partido social-democrata adianta que este prazo permitirá "a estabilização dos órgãos dos vários partidos que têm congressos ou eleições no final do ano 2021, permitirá uma preparação cuidada das listas de deputados, permitirá minizar riscos de pandemia e do inverno em tempos de campanha", fundamenta.

Na conferência de imprensa, anunciou ainda que o ex-ministro Miguel Poiares Maduro aceitou coordenar as bases do programa eleitoral de Paulo Rangel e o economista Fernando Alexandre será o responsável pela área económica.

RANGEL NA CORRIDA À LIDERANÇA DO PSD

Paulo Rangel já entregou o requerimento para convocar um Conselho Nacional do PSD extraordinário. Conseguiu reunir o apoio de 68 conselheiros, entre eles Luís Filipe Menezes e Rui Machete.

O candidato à liderança do PSD concorda que o partido vá a diretas a 4 de dezembro, mas prefere que o Conselho Nacional antecipe o Congresso do partido para 17, 18 e 19 de dezembro. A reunião magna aconteceria duas semanas depois das eleições diretas e daria mais tempo à liderança para preparar as eleições legislativas.

VEJA TAMBÉM: