Eleições nos EUA

Eleições nos EUA. Biden e Trump jogam trunfos finais nos Estados decisivos

Jonathan Ernst

Os dois candidatos viajam para Estados fundamentais para o desfecho da eleição.

Os dois principais candidatos à Presidência dos EUA viajam esta segunda-feira, dia final de campanha, para Estados fundamentais para o desfecho da eleição, com uma agenda intensa de comícios, na tentativa de ganhar votos que podem ser decisivos.

Depois de ter participado em cinco comícios no domingo (Michigan, Iowa, Carolina do Norte, Geórgia e Florida), o republicano Donald Trump repete a dose e regressa à Carolina do Norte, passando pela Pensilvânia e Wisconsin, dois dos Estados considerados essenciais para garantir a sua reeleição, antes de terminar a campanha no Michigan, com dois comícios.

Grand Rapids, no Michigan, será o local de comício final, o mesmo local escolhido em 2016 para terminar o seu roteiro de campanha, esperando manter o resultado de vitória de há quatro anos, que os seus consultores dizem ser fundamental para a reeleição.

Depois de ter partilhado o palco de comícios com o ex-Presidente Barack Obama, durante o fim de semana, o democrata Joe Biden joga todos os trunfos na Pensilvânia, no dia final de campanha, revelando a importância que está a dar a este Estado para garantir a sua vitória nas presidenciais.

Já no domingo, Biden escolheu a capital desse Estado, Filadélfia, para desferir ataques no seu adversário e tentar mobilizar o eleitorado para uma eleição que as sondagens dizem ser renhida na Pensilvânia e mesmo imprevisível (com a vantagem a cair para a margem de erro dos estudos).

Biden deixou os também importantes Estados da Geórgia (que os democratas não ganham desde 1992, quando Bill Clinton aí venceu surpreendentemente) e da Carolina do Norte para a candidata a vice, Kamala Harris, procurando tirar proveito da cor de pele negra da sua companheira de candidatura para apelar ao voto de minorias relevantes nessa zona do sudeste do país.

Veja também: