Eleições nos EUA

Trump estará a assinar perdões antes de abandonar o cargo

Entre os mais de 100 perdões que o Presidente irá assinar estarão criminosos e violadores.

Donald Trump pode estará aproveitar os últimos dias enquanto Presidente dos Estados Unidos para assinar uma série de decretos que favorecem as próprias políticas ou mesmo a própria família.

Segundo uma investigação do jornal norte-americano The New York Times, os homens e mulheres que ainda são leais ao atual Presidente estarão a oferecer penas perdoadas ou comutadas, indultos e imunidade perante a Justiça a dezena de pessoas. Em troca, Trump receberia dinheiro para assinar os perdões.

John Kiriakou, antigo homem da CIA condenado por fuga de informação, terá sido um dos contactados para receber um destes perdões. Não só se terá recusado a pagar como denunciou a proposta, avança ainda o jornal.

Há também um rumor antigo de que Trump poderia assinar perdão e imunidade para o próprio e para a família. Para já, essa informação ainda não foi confirmada.

O que é quase certo é que esta terça-feira, o último dia como Presidente dos EUA, Donald Trump vai assinar mais de 100 perdões de criminosos, incluindo violadores.

Corre ainda o rumor de que o Presidente tenha pedido honras militares para a sua saída da Casa Branca, mas o Pentágono negou essa informação. O que está confirmado é que Trump irá viajar no Air Force One e aterrar na Florida pelas 11 da manhã, uma hora antes de deixar de ser Presidente.

A herança que o atual Presidente deixa a Joe Biden ainda não é conhecida na íntegra. Há 10 decretos que o novo Presidente irá assinar já no próprio dia da tomada de posse. Um deles faz regressar os Estados Unidos ao acordo de Paris sobre o clima, outro irá colocar um fim à proibição da entrada de emigrantes vindos de países muçulmanos. Biden pretende ainda declarar obrigatório o uso de máscara.