George Floyd

Ministério Público norte-americano acusa todos os agentes envolvidos na morte de George Floyd

Andreia Melo

Andreia Melo

Jornalista

Foi ainda agravada a acusação ao polícia que já estava formalmente indiciado pela morte do afro-americano.

O Ministério Público norte-americano anunciou a acusação formal de todos os agentes envolvidos na morte de George Floyd. Até agora, só Derek Chauvin, o polícia que se ajoelhou no pescoço do afro-americano durante quase 9 minutos, estava formalmente indiciado por homicídio.

A acusação foi agravada e o agente vai responder por homicídio em segundo grau. Arrisca uma pena de prisão até 40 anos. Os outros três agentes envolvidos foram acusados de auxílio e cumplicidade de homicídio e de homicídio involuntário.

A família de George Floyd já reagiu às acusações. Mostrou-se satisfeita com a punição aplicada aos polícias, mas pede que estes sejam condenados.

Em Minneapolis, cidade onde Floyd morreu às mãos da polícia, vai esta quinta-feira realizar-se uma cerimónia de homenagem ao afro-americano.

George Floyd tinha 46 anos. Morreu a 25 de maio, em Minneapolis (Minnesota), depois de um polícia lhe ter pressionado o pescoço com o joelho durante cerca de oito minutos numa operação de detenção, apesar de Floyd dizer que não conseguia respirar.

Desde a divulgação das imagens nas redes sociais, têm-se sucedido os protestos contra a violência policial e o racismo em dezenas de cidades norte-americanas, algumas das quais foram palco de atos de pilhagem.

Os quatro polícias envolvidos no incidente foram despedidos e o agente Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço de Floyd, foi detido, acusado de assassínio em terceiro grau e de homicídio involuntário.

A morte de Floyd ocorreu por suspeita de ter usado uma nota falsa de 20 dólares (18 euros) numa loja.

Veja também: