George Floyd

George Floyd “sabia que era o fim”. Os relatos emocionados das testemunhas

Continua o julgamento do polícia Derek Chauvin.

No julgamento do polícia acusado da morte de George Floyd, a defesa tentou demonstrar que o polícia estava sob enorme pressão, mas os procuradores chamaram testemunhas que fizeram relatos emocionados do horror que dizem ter observado.

Durante a detenção de George Floyd estava presente, por acaso, uma bombeira e paramédica que tentou evitar aquilo que viria a acontecer. Genevieve diz que pediu aos polícias para começarem compressões cardíacas ou deixarem-na ajudar.

Garante que não foi autorizada a aproximar-se. Estes factos prejudicam a defesa do polícia acusado de homicídio e uso excessivo da força. Por isso, os advogados tentaram atacar o homem que ligou para a linha de emergência médica por ter insultado o polícia.

Mas os procuradores de Minneapolis responsáveis pela acusação chamaram testemunhas que ficaram para sempre marcadas por assistir à agonia de George Floyd. Darnella pediu anonimato neste julgamento televisionado.

A testemunha tem 18 anos, foi à mesma loja que Floyd com o primo de nove, e estão ambos a receber acompanhamento psicológico por causa do trauma da situação.