Guerra Rússia-Ucrânia

Rússia está a recrutar voluntários "velhos, em má forma e mal treinados", diz Pentágono

Rússia está a recrutar voluntários "velhos, em má forma e mal treinados", diz Pentágono
Fonte do Departamento de Defesa dos Estados Unidos diz que Moscovo também está a recrutar prisioneiros.

O Exército russo está a sentir dificuldades para recrutar soldados para o conflito na Ucrânia, recorrendo até a prisões e voluntários "velhos, em má forma e mal treinados", referiu esta segunda-feira fonte do Departamento de Defesa dos EUA.

O Presidente russo, Vladimir Putin, determinou na semana passada um aumento das Forças Armadas russas em 10%, ou cerca de 137.000 militares, até janeiro de 2023. Para a Defesa norte-americana (Pentágono), "é improvável que esse esforço seja bem-sucedido".

Um funcionário do Pentágono, que pediu anonimato, sublinhou aos jornalistas que os militares russos têm lutado historicamente para cumprir as suas metas de recrutamento.

Os Estados Unidos estimam que a força do Exército russo era 150.000 a menos do que o objetivo declarado de um milhão de homens em fevereiro de 2022, antes da invasão da Ucrânia.

Desde então, a Rússia tentou enviar soldados profissionais para a frente de combate, em vez de recrutas, mas o conflito é dispendioso em termos de recursos humanos e materiais.

"A Rússia já começou a recrutar mais para formar pelo menos um batalhão de voluntários por distrito e formar um Terceiro Corpo de Exército. Fizeram isso removendo o limite de idade para novos recrutas e também recrutando prisioneiros", frisou a mesma fonte.

"Podemos observar que muitos desses novos recrutas eram velhos, em má forma e mal treinados. Tudo isso sugere que os novos recrutas que a Rússia pode atrair até ao final do ano não reforçarão o poder de combate do país", acrescentou.

Depois de não terem conquistado Kiev no início do conflito, as forças russas concentraram-se nos últimos meses a leste e sul da Ucrânia, onde as frentes de combate se movimentaram pouco nas últimas semanas.

Até agora, o Kremlin absteve-se de avançar para uma mobilização geral, medida temida por muitos russos.

Últimas Notícias
Mais Vistos