Guerra Rússia-Ucrânia

Finlândia reduz números de vistos emitidos para russos

Finlândia reduz números de vistos emitidos para russos
NurPhoto
Há novas medidas para os russos que queiram entrar na Finlândia.

A Finlândia reduziu esta quinta-feira o número de vistos emitidos para russos para um décimo do valor normal, numa medida vista como uma demonstração de apoio à Ucrânia.

A partir desta quinta-feira, os cidadãos russos só podem pedir vistos uma vez por semana na Finlândia e apenas em quatro cidades russas: Moscovo, São Petersburgo, Murmansk e Petrozavodsk

O país, que partilha a mais longa fronteira com a Rússia de todos os países da União Europeia, já tinha anunciado esta decisão em agosto, mas só agora é que a medida entrou em vigor.

"É importante mostrarmos que, ao mesmo tempo que os ucranianos estão a sofrer, o turismo normal não deve continuar como de costume", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros finlandês, Pekka Haavisto, durante uma reunião dos ministros da UE, na quarta-feira.

Países europeus defendem bloqueio da emissão de vistos para russos

Após a invasão russa à Ucrânia, a Polónia e a República Checa foram dos primeiros países a bloquearem a emissão de vistos para turistas russos. Desde o início do conflito, ambos defendem que a medida deve ser aplicada em todos os países da União Europeia.

Finlândia, Lituânia, Estónia e Letónia concordam com a medida.

O ministro mostrou-se preocupado com a "rota de turismo" russa através do aeroporto de Helsínquia, que era utilizado por milhares de russos antes da invasão à Ucrânia.

Para além desta decisão, Haavisto revelou ainda que o Governo está a trabalhar na possibilidade de criar um visto "humanitário" para ajudar ativistas russos, membros da sociedade e jornalistas críticos do Kremlin.

UE vai suspender acordo que facilita a emissão de vistos aos russos

Bruxelas anunciou na quarta-feira que vai suspender um acordo com a Rússia que facilita a emissão de vistos para os russos que queiram deslocar-se à União Europeia.

No entanto, não haverá uma proibição total porque não há unanimidade entre os Estados-membros. Hungria, Alemanha e França discordam. Já os países nórdicos e de leste são a favor do fim do turismo russo no Ocidente.

“Não haverá uma proibição total imposta a cidadãos russos. Vários Estados-membros manifestaram-se contra isto, incluindo eu próprio”, afirmou o ministro húngaro.

O Presidente da Ucrânia tem vindo a pedir sucessivas vezes que a UE proíba a entrada de russos nos países europeus, salvo exceções. Zelensky defende que os vistos de entrada só sejam concedidos aos russos perseguidos pelas suas posições políticas, aos que procuram asilo ou àqueles que defendem a paz.

Últimas Notícias
Mais Vistos