Guerra Rússia-Ucrânia

Acordo permitiu à Ucrânia exportar 1,68 milhões de toneladas de cereais

Acordo permitiu à Ucrânia exportar 1,68 milhões de toneladas de cereais
Anadolu Agency
Entre 1 de agosto e 1 de setembro, 69 navios partiram dos três portos ucranianos.

A Ucrânia exportou 1,68 milhões de toneladas de produtos agrícolas desde a entrada em vigor, a 1 de agosto, do acordo para desbloquear os portos, fechados por causa da invasão russa do país, informaram este sábado as autoridades turcas.

Entre 1 de agosto e 1 de setembro, 69 navios partiram dos três portos ucranianos de Odessa, Chornomorsk e Yuzhni, segundo dados divulgados pela Autoridade Marítima turca e publicados hoje nos media locais.

A informação adianta que os produtos exportados foram sementes de girassol, farinha de girassol, óleo da mesma planta, cevada, trigo, milho, soja, beterraba sacarina, ervilha e colza, embora não indique as quantidades de cada.

A 20 de agosto, as Nações Unidas, que mediaram com a Turquia as negociações para que se alcançasse o acordo, indicaran um volume total de 656.000 toneladas exportadas de cereais ucranianos, com o milho representando 74%, produtos de girassol 14%, e trigo 10%.

Cerca de 23% de todas as mercadorias foram descarregadas nos portos turcos, adiantou ainda a Autoridade Marítima.

Outros países recetores são Alemanha, China, Coreia do Sul, Egito, Espanha, França, Grécia, Índia, Irão, Irlanda, Israel, Itália, Líbano, Líbia, Holanda, Reino Unido, Roménia, Somália, Sudão e Djibuti.

A Autoridade especifica que 22 dos navios tinham ficado presos nos portos por causa da invasão russa e, finalmente, conseguiram sair graças ao acordo, enquanto os restantes foram, neste período de abertura para esses portos para transportarem a carga para os seus destinos.

Todos os navios vindos da Ucrânia ou com destino para aquele país são inspecionados em Istambul por delegados russos, ucranianos, turcos e das Nações Unidas.

No total, 86 navios seguiram para a Ucrânia sob o acordo, após passarem por uma inspeção em Istambul, na Turquia, ou estão atualmente a passar por esse processo, acrescentou a nota.

O acordo, assinado em julho passado, tem validade de 120 dias, mas será prorrogado automaticamente caso nenhum dos países envolvidos se oponha.

Últimas Notícias
Mais Vistos