Guerra Rússia-Ucrânia

"Será difícil esconder a informação do que se está a passar" na central nuclear de Zaporíjia

Loading...
Bruno Soares Gonçalves explica que há peritos da Agência Internacional de Energia Atómica que vão ficar na central e "tudo leva a querer que as informações serão credíveis".

Na central nuclear de Zaporijia, a integridade física das instalações e a pressão sobre os trabalhadores ucranianos são as maiores preocupações do líder da agência internacional de energia atómica.

Rafael Grossi já regressou a casa, mas a central nuclear não deixará de ter vigilância uma vez que contará com a presença permanente de dois peritos. Mas Zelensky considera que a decisão não é suficiente para garantir a segurança.

O comentador da SIC, Bruno Soares Gonçalves, em entrevista à SIC Notícias no sábado à noite, afirma que os peritos que vão ficar na central têm competência e conhecem "muito bem a operação de uma central", ou seja, considera "que será difícil esconder a informação do que se está a passar".

Tudo leva a querer que as informações serão credíveis e independentes.

O presidente do Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear diz que “estão criadas as condições para saber que está a acontecer” e "é agora o momento em que se pode começar a falar no sentido da desmilitarização".

A grande questão aqui é ‘será que a Rússia quer abandonar aquilo que foi um objetivo militar?’

Bruno Soares Gonçalves acredita que não vai abandonar, porque "quer controlar a energia que aquela central produz".

Quanto ao risco de ocorrer um acidente radiológico diz existir e, "a menos que seja uma situação extremamente grave e inesperada, espera-se que possa afetar a zona, mas que não seja extenso geograficamente ".


Últimas Notícias