Guerra Rússia-Ucrânia

Putin acusa Ucrânia de ataques terroristas

Putin acusa Ucrânia de ataques terroristas
GAVRIIL GRIGOROV
O Presidente Vladimir Putin falou na abertura do Forum sobre energia Russian Energy Week (REW), em Moscovo.

No discurso de abertura do Fórum sobre energia Russian Energy Week (REW), em Moscovo, o Presidente Vladimir Putin fez acusações sobre ataques a infraestruturas e responsabilizou a Ucrânia de cometer ataques terroristas. O Presidente turco e o ministro da Energia do Azerbaijão estão entre dirigentes mundiais que participam no Fórum, mas o único representante europeu é o ministro da Energia da Hungria.

Putin fez várias acusações sobre ataques a infraestruturas, da destruição da ponte para a Crimeia e da sabotagem do gasoduto Nord Stream, responsabilizando os serviços secretos da Ucrânia. Garantiu estar bem documentado sobre os culpados de "ataques terroristas contra centrais nucleares".

Sabotagem do Nord Stream é "ato de terrorismo internacional que beneficia os Estados Unidos, a Ucrânia e a Polónia".

“Os beneficiários são claros (...) Porque [este incidente] reforça a importância geopolítica dos outros sistemas de gás, aquele que passa pelo território da Polónia (...) e da Ucrânia e que foi a Rússia que construiu. Mas também para os Estados Unidos, que agora podem vender a sua energia a preços altos”.

Rússia disposta a fazer fornecimentos de gás à Europa

O Presidente russo garantiu que a Rússia está disposta a fazer fornecimentos de gás através do Nord Stream 2 que passa pela Alemanha. “Não limitamos, estamos prontos a fornecer”.

Disse que a Europa paga muito mais caro pelo gás, que a situação da UE está a deteriorar-se mas que a Rússia não tem responsabilidade nisso.

"A Rússia não tem nada a ver com os preços altíssimos de energia que os europeus enfrentam este inverno e é o Ocidente que está a alimentar uma crise global de energia".

Referiu que “a bola está do lado da UE. Se quiser, basta abrir a torneira".

Putin disse ainda que Rússia poderia redirecionar o fornecimento de gás do gasoduto Nord Stream para o Mar Negro e até mesmo estabelecer um importante centro de gás para a Europa na Turquia.

Rússia mantém exportações e produção de petróleo nos níveis atuais até 2025

A Rússia vai manter a produção e as exportações de petróleo nos níveis atuais até 2025, garante Putin afirmando que Moscovo não vai ceder a sua posição de líder mundial no mercado global de energia, apesar das sanções ocidentais.

Putin elogiou o grupo Opep+ que na semana passada anunciou que vai reduzir a produção numa tentativa de manter os preços do petróleo altos, e disse que a Rússia pretende continuar a trabalhar com o grupo liderado pela Arábia Saudita.

Acusações ao Ocidente por limitar o preço do petróleo russo

O plano do G7 e da UE de limitar o preço do petróleo russo para limitar as receitas de Moscovo, "ameaça o bem estar de milhares de milhões de pessoas", denuncia Putin.

“Com as suas decisões arriscadas, alguns políticos ocidentais estão realmente a destruir a economia mundial e a ameaçar o bem estar de milhares de milhões de pessoas.

Putin e Erdogan encontram-se amanhã no Cazaquistão

Para amanhã, está marcado um encontro entre Putin e Erdogan em Astana, no Cazaquistão. Na véspera do encontro, Ancara voltou a pedir um cessar-fogo. Erdogan é dos poucos líderes mundiais que consegue chegar a Putin, diz o comentador da SIC Germano almeida.

"A Turquia volta a mostrar que não apoia a Rússia, mas é o único membro da NATO que não aplicou sanções e que tem capacidade de fazer a ponte" com Putin.

Neste encontro, os dois líderes podem falar sobre a renovação dos acordos de Istambul e tentar lançar novas negociações de paz.

Mas não se devem esperar grandes desenvolvimentos nem de Putin nem de Zelensky "porque a paz que Zelensly impôs - retirada das tropas russas do terreno, reparação de guerra por parte dos russos - Putin não a vai aceitar".

Últimas Notícias