Guerra Rússia-Ucrânia

Medvedev acusa Ocidente de fomentar terceira guerra mundial

Dmitry Medvedev
Dmitry Medvedev
Ekaterina Shtukina

Ex-presidente russo reagiu à queda de um míssil na Polónia.

O vice-chefe do Conselho de Segurança russo, Dmitry Medvedev, acusou hoje o Ocidente de aumentar a possibilidade de uma terceira guerra mundial, ao comentar a queda de um míssil na Polónia, que atribuiu à Ucrânia.

"A história do 'ataque de míssil' ucraniano a uma quinta polaca prova apenas uma coisa: o Ocidente, pela sua guerra híbrida com a Rússia, aumenta a probabilidade de começar uma guerra mundial", disse o também ex-presidente russo na rede social Twitter, citado pela agência oficial russa TASS.

A Polónia disse que um "projétil de fabrico russo" caiu no seu território na terça-feira, próximo da fronteira com a Ucrânia, provocando a morte de duas pessoas.

A Rússia bombardeou infraestruturas de energia por toda a Ucrânia na terça-feira. A Ucrânia acusou a Rússia de ser responsável pelo ataque, mas Moscovo negou ter disparado o míssil.

O Ministério da Defesa russo considerou mesmo como uma provocação as declarações polacas sobre a queda de mísseis supostamente russos na Polónia, segundo a TASS.

O ministério disse que as fotografias dos destroços divulgadas pela imprensa polaca mostram que nada têm a ver com armas russas.

O incidente fez recear uma escalada do conflito, dado que a Polónia integra a NATO, cujo tratado prevê, no artigo 5.º, a intervenção da Aliança Atlântica no caso de um dos seus membros ser atacado.

A guerra na Ucrânia, iniciada pela Rússia em 24 de fevereiro deste ano, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Últimas Notícias
Mais Vistos