Guerra Rússia-Ucrânia

Ucrânia insiste que Rússia é "inteiramente responsável" pelo míssil que atingiu a Polónia

Ucrânia insiste que Rússia é "inteiramente responsável" pelo míssil que atingiu a Polónia
KAY NIETFELD

O chefe da diplomacia ucraniana falou ao telefone com o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.

O chefe da diplomacia ucraniana apontou esta quinta-feira a Rússia como "inteiramente responsável" pelo míssil que atingiu território polaco e matou duas pessoas, falando após um contacto telefónico com o homólogo norte-americano, Antony Blinken.

"Partilhamos do mesmo ponto de vista, segundo o qual a Rússia é inteiramente responsável pelo terror provocado pelos mísseis, e as consequências (dos ataques) sobre a Ucrânia, Polónia ou a Moldávia", disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dmytro Kuleba.

Na quarta-feira à noite, o chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky, exigiu acesso a "todos os dados" dos parceiros de Kiev sobre as circunstâncias da explosão na Polónia, depois de ter reafirmado que o míssil que matou duas pessoas era russo.

O contacto telefónico entre Kuleba e secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, decorreu esta quinta-feira de manhã, na mesma altura em que as forças da Rússia voltaram a disparar mísseis contra o território da Ucrânia.

Por outro lado, o ministro ucraniano elogiou a "ajuda crucial em matéria de defesa" mas pediu celeridade nas "entregas de sistemas de defesa antiaéreos à Ucrânia" para que Kiev possa fazer face ao aumento dos ataques de mísseis russos.

Sobre esta questão, Kuleba apelou a Washington no sentido do fornecimento de mísseis "Patriot", um sistema terra-ar que utilizam um sistema de radar considerado muito eficaz, do ponto de vista militar.