Guerra Rússia-Ucrânia

Portugal reforça com um milhão de euros pacote da NATO de apoio não letal à Ucrânia

Portugal reforça com um milhão de euros pacote da NATO de apoio não letal à Ucrânia
Petr David Josek

Envio de geradores ou outro tipo de material que ajude a restaurar o sistema de energia do país e a combater o inverno está a ser estudado.

O ministro dos Negócios Estrangeiros anunciou esta quarta-feira que Portugal vai avançar com uma contribuição extraordinária de um milhão de euros para o pacote da NATO de apoio não letal à Ucrânia, num contexto de crise energética naquele país.

"Portugal vai dar um contributo extraordinário para o pacote de assistência abrangente, que é um pacote da NATO para apoio não letal e, portanto, que será também dedicado à reposição da capacidade energética da Ucrânia. E demos hoje [quarta-feira] a indicação que avançaremos com uma contribuição extraordinária de um milhão de euros", anunciou.

João Gomes Cravinho falava aos jornalistas à margem da reunião do Conselho do Atlântico Norte que junta os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO no Palácio do Parlamento, na capital da Roménia, e termina esta quarta-feira.

Questionado sobre se Portugal vai ajudar a Ucrânia com geradores ou outro tipo de material que ajude a restaurar o sistema de energia do país e a combater o inverno - que segundo a NATO está a ser usado pelo presidente russo como "arma de guerra" - Cravinho respondeu que essa possibilidade está a ser estudada, mas salientou que "existe neste momento uma escassez generalizada no mercado de geradores em função da elevada procura, justamente para fazer face à destruição provocada pela Rússia".

"Em relação ao apoio militar, é uma constante. Portugal está constantemente a rever a suas possibilidades e ao longo da duração da guerra iremos com certeza reforçar o nosso apoio", sublinhou.

Últimas Notícias
Mais Vistos