Guerra Rússia-Ucrânia

Depois de tanques, Zelensky pede mísseis de longo alcance e aviões de combate

Depois de tanques, Zelensky pede mísseis de longo alcance e aviões de combate
UKRAINIAN PRESIDENTIAL PRESS SER

Depois de vários países terem garantido que vão enviar tanques para a Ucrânia, Zelensky pede agora aos aliados ocidentais mísseis de longo alcance e aviões de combate.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu aos aliados ocidentais o envio de mísseis de longo alcance e aviões de combate, após o aval da Alemanha e Estados Unidos ao envio de tanques pesados para as forças armadas de Kiev.

"Também devemos permitir a entrega de mísseis de longo alcance para a Ucrânia, isso é importante. Devemos também expandir a nossa cooperação em artilharia e [viabilizar] o envio de aviões de combate", disse Zelensky no seu discurso diário publicado nas redes sociais.

"Hoje falei com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg. Temos que desbloquear o fornecimento de mísseis de longo alcance para a Ucrânia, é importante para nós expandir a nossa cooperação em artilharia, temos que conseguir o fornecimento de aeronaves para a Ucrânia", disse o Presidente ucraniano.

Vários países ocidentais confirmaram esta quarta-feira o envio de tanques pesados para a Ucrânia, embora os números sejam ainda incertos, após a Alemanha ter autorizado a cedência dos Leopard 2 e de os Estados Unidos anunciarem o fornecimento de blindados Abrams.

Após ter elogiado ao longo do dia a decisão de Washington e Berlim, o líder ucraniano disse que "o principal agora é a velocidade e o volume. A velocidade de treino dos nossos militares, a velocidade de fornecimento de tanques para a Ucrânia".

"Nós podemos fazer isso. Juntos e apenas da mesma forma que tomámos decisões hoje", afirmou, sublinhando ser "um sonho", mas também "uma tarefa" dotar as forças armadas ucranianas de novas capacidades.

"Quanto mais apoio de defesa os nossos heróis na frente receberem do mundo, mais cedo a agressão da Rússia terminará e mais confiáveis serão as garantias de segurança para a Ucrânia e todos os nossos parceiros após a guerra", declarou.