Incêndios em Portugal

Família refugia-se em tanque para escapar às chamas na Guarda: "Parecia que estávamos num filme"

Loading...
No incêndio na Serra da Estrela, os operacionais estiveram focados em duas frentes, na Guarda e Covilhã.

90% do perímetro do incêndio da Serra da Estrela já foi dado como dominado. Esta quarta-feira à tarde, os meios no terreno estiveram focados em duas frentes, na Guarda e Covilhã.

Na frente entre Gonçalo e Famalicão da Serra, na Guarda, as chamas encontraram caminho nas zonas verdes que não arderam nos últimos dias.

O fogo que por lá passou na segunda-feira esteve perto das casas e as autoridades quiseram evitar que a situação se repetisse. Durante todo o dia a vigilância foi apertada e foi ainda necessário controlar alguns pontos quentes para impedir reativações nesta zona.

Numa outra frente, com mais de 4 quilómetros e meio de extensão, virada para a Covilhã, entre a Quinta da Atalaia e Teixoso, a ajuda dos meios aéreos foi essencial para controlar o fogo que ia aparecendo em diferentes pontos, trazido pelo vento forte, num terreno de difícil acesso para os operacionais apeados.

Valhelhas foi uma das freguesias que estiveram cercadas pelas chamas na segunda-feira.

Quem por aqui mora não esperava que o fogo chegasse tão depressa às casas: "Tinha um lume a 1 quilómetro e, de repente, começa a arder ao pé de mim (...). Desta vez tive receio por mim".

Em Gonçalo, uma família escondeu-se dentro de um taque de água para escapar às chamas:

"Só nos cobria até à cintura, mas nós mergulhámos. Via-se projeções das labaredas. Pareciam bolas de fogo. Parecia que estávamos num filme".

Mais de 90% da freguesia de Valhelhas ardeu. As principais fontes de rendimento foram arrasadas pelo fogo.

12 dias depois, ainda falta dominar 10% do perímetro do incêndio da Serra da Estrela. Esta quarta-feira, estiveram no terreno mais de 1200 operacionais.