Jogos Olímpicos

Jogos Olímpicos arrancam com um ano de atraso, sem público e sob ameaça da pandemia  

Restrições sanitárias marcam 32.ª edição da prova.  

Os Jogos Olímpicos de Tóquio arrancaram esta sexta-feira, com um ano de atraso, sem público e sob a ameaça da pandemia de covid-19.

Só na aldeia olímpica, já foram detetados mais de 90 casos e, na região de Tóquio, o número diário de novas infeções foi esta semana o mais alto dos últimos seis meses.

Por causa da crise sanitária, a competição vai ser feita em bolha. Os atletas não podem contactar com outras comitivas e estão proibidos espectadores durante as provas.

Com um ano de atraso, a competição arrancou esta sexta-feira com a cerimónia de abertura, no Estádio Olímpico de Tóquio. O Presidente francês, Emmanuel Macron, e a primeira-dama dos Estados Unidos da América, Jill Biden, estiveram entre o grupo restrito que pôde entrar no recinto.

"Seguir em frente" foi o tema escolhido para cerimónia.

A SIC EM TÓQUIO