Luanda Leaks

"No tempo em que trabalhei com Isabel dos Santos ela nunca me pediu nada de ilegal"

"No tempo em que trabalhei com Isabel dos Santos ela nunca me pediu nada de ilegal"

José Miguel Júdice representou a Unitel, detida pela empresária angolana.

Em 2016, José Miguel Júdice foi convidado para representar, numa arbitragem, a empresa Unitel, detida por Isabel dos Santos.

No espaço de comentário "As Causas", o advogado garantiu que, no tempo em que trabalhou com a empresária angolana, ela "nunca pediu nada de ilegal" e que "nunca" viu que Isabel dos Santos "estivesse a utilizar fundos públicos".

Sobre o processo Luanda Leaks, o comentador da SIC reitera: "estamos muito longe de saber tudo". Júdice pede ainda "mais prudência" porque "os factos não são conhecidos".

José Miguel Júdice afirma também que, caso se confirme que é ilegal o investimento de Isabel dos Santos em Portugal, há muitos bancos, empresas e até chefes de Estado e de Governo que foram cúmplices, encobridores e até co-autores.

LUANDA LEAKS: A INVESTIGAÇÃO

A Luanda Leaks, uma investigação do Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação, é a maior investigação jornalística alguma vez feita aos negócios da empresária angolana Isabel dos Santos. Mais de 715 mil documentos foram analisados por 120 jornalistas dos maiores órgãos de comunicação social de todo o mundo começaram a ser divulgados.

O Expresso e a SIC associaram-se a este consórcio internacional e revelam como a filha do antigo Presidente de Angola fez chegar pelo menos 115 milhões de dólares dos cofres da Sonangol a uma sociedade do Dubai, controlada por pessoas próximas. Todas elas portuguesas.

Veja também:

  • Portugal em silêncio 
    2:21