Tragédia no Meco

Julgamento cível do caso Meco. Pais das vítimas prometem ir até ao Supremo Tribunal

Alegações finais decorreram esta sexta-feira.

Os pais dos jovens que morreram no Meco, em 2013, estão decididos a prosseguir com o caso na justiça. Esta sexta-feira foi dia de alegações finais no processo cível que colocaram contra a Universidade Lusófona e o antigo Dux.

Há 3 meses que pais, universidade e o ex-dux, João Gouveia, debatem, novamente, em tribunal o que se passou na noite de 15 de dezembro de 2013, quando seis alunos da lusófona morreram na praia do Meco.

O advogado dos pais das vítimas - que pediu a condenação de João Gouveia e da Lusófona - garante que se perder, recorre.

O processo do Meco nunca teve um julgamento criminal. Em 2015, o Tribunal de Instrução de Setúbal decidiu não enviar o caso para julgamento, decisão confirmada pela relação de Évora.

Colocaram agora um processo cível. Pedem, no total, indemnizações no valor de 1 milhão e 300 mil euros à Lusófona e a João Gouveia.

Veja também: