Orçamento do Estado

OE2021. "Este é um orçamento de guerra" 

A análise de três antigos secretários de Estado dos Assuntos Fiscais na Edição da Noite. 

Os antigos secretários de Estado dos Assuntos Fiscais, Rogério Fernandes Ferreira, Paulo Núncio e Fernando Rocha Andrade, estiveram esta segunda-feira na Edição da Noite, da SIC Notícias, para uma análise ao Orçamento do Estado para 2021, que já foi entregue na Assembleia da República.

Fernando Rocha Andrade, ex-secretário de Estado do Governo de António Costa, diz que é um "orçamento de guerra", que reforça as despesas do Estado, não agrava os impostos e tenta minorar os efeitos desta situação extraordinária na economia.

Paulo Núncio, secretário de Estado do Governo de Pedro Passos Coelho, fala no carácter social do orçamento e defende que estas medidas vão "aumentar substancialmente" a despesa pública, o que se traduz "em mais impostos ou mais divida publica no futuro".

Rogério Fernandes Ferreira, secretário de Estado do Governo de António Guterres, defende que este é um "orçamento conjuntural", desenhado para o ano "de alguma recuperação, mas ainda de pandemia", e que tem "algumas medidas interessantes", como a diminuição da retenção na fonte.