Orçamento do Estado

OE2022: Investimento público aumenta 30% e com PRR representa 3,2% do PIB em 2022

Westend61

Segundo o relatório do Orçamento do Estado para 2022.

O investimento público aumentará 30% face a 2021, segundo o relatório do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), representando, juntamente com o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), 3,2% Produto Interno Bruto (PIB) no próximo ano, segundo o Governo.

"A recuperação económica prevista para 2022 está fortemente alicerçada na projeção de crescimento do investimento público -- cerca de 30% face a 2021, que permitirá o reforço da competitividade da economia portuguesa e o aumento do seu crescimento potencial", anuncia o Governo no relatório da proposta de OE2022 entregue na segunda-feira no parlamento.

Segundo os números do executivo liderado por António Costa, o aumento do investimento inclui, "além do impulso que provém do PRR [Plano de Recuperação e Resiliência]", uma trajetória "consistente com o grau de maturidade de investimentos estruturantes planeados antes da pandemia, estimados em 1.974 milhões de euros em 2022".

A estes investimentos estruturantes junta-se o Plano de Recuperação e Resiliência, cujo "investimento público da Administração Central associado aos projetos do PRR representa cerca de 1.026 milhões de euros".

"Em conjunto com os investimentos estruturantes, os projetos de investimento do PRR levarão que a economia portuguesa apresente, já em 2022, um nível de investimento público acima dos 3,2% do PIB", refere o Governo.

Os investimentos estruturantes, já anteriormente previstos, dizem respeito às "áreas de mobilidade sustentável, saúde, formação e qualificação", segundo o relatório do OE2022.

"O investimento estruturante, em 2022, deverá ascender a cerca de 1.974 milhões de euros, representando um acréscimo de 655 milhões de euros face a 2021", indica ainda o executivo.

Os 1.974 milhões de euros deste tipo de investimento dividem-se entre o programa Ferrovia 2020 (469 milhões), as expansões de redes de metropolitano (408 milhões), a aquisição de frota (61 milhões), a rodovia (59 milhões), a saúde e segurança social (251 milhões de euros), a educação e ensino superior (389 milhões), a defesa e segurança interna (211 milhões) e o ambiente e agricultura (127 milhões).

VEJA TAMBÉM:

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros