Operação Marquês

Ricardo Salgado dispensado de comparecer às sessões de julgamento

Francisco Seco

O coletivo de juízes confirmou hoje que o antigo presidente do BES está dispensado face às circunstâncias da pandemia de covid-19.

O antigo presidente do BES está dispensado de comparecer nas sessões em tribunal, face às circunstâncias da pandemia de covid-19, confirmou hoje o coletivo de juízes.

No início da segunda sessão do julgamento em curso no Juízo Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça, o juiz presidente Francisco Henriques começou por lembrar que os "arguidos não são obrigados a estar presentes", sendo que o "coletivo só impõe a presença do arguido na última sessão para ele prestar as últimas declarações, se o quiser fazer". Contudo, realçou as "particulares circunstâncias" causadas pela pandemia em Portugal.

"Nos termos da lei n.º 1-A/2020, o arguido, neste caso, nem é obrigado a vir à última. Neste caso, esta lei concede-lhe uma causa de justificação e ele não é obrigado a comparecer. Não sendo obrigado, o tribunal (...) não considera imprescindível a sua presença. O julgamento prossegue sendo o arguido representado pelos mandatários", disse o presidente do coletivo de juízes.

Na sequência da posição expressa pelo presidente do coletivo, o advogado de Ricardo Salgado, Francisco Proença de Carvalho, vincou que "foi essa a razão pela qual o arguido não compareceu" e acrescentou: "A defesa mantém tudo o que disse sobre essa matéria e a interpretação da lei, e reafirma tudo o que já disse no que respeita às irregularidades invocadas".

O ex-banqueiro, de 77 anos, voltou a não comparecer hoje no Campus da Justiça, tal como havia ocorrido na primeira sessão do julgamento, realizada na última terça-feira. Os advogados de defesa de Ricardo Salgado já tinham invocado anteriormente as regras em vigor de prevenção à covid-19 para este poder exercer o direito a não vir ao tribunal.

A defesa do antigo líder do BES tinha também alegado nulidades e irregularidades na contestação à acusação, por discordar que o julgamento, nomeadamente a audição de testemunhas, se realize sem a presença do arguido, ausência que diz estar justificada pela lei em tempo de pandemia.

Ricardo Salgado responde por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros, no âmbito do processo Operação Marquês.

VEJA TAMBÉM:

Ricardo Salgado condenado ao pagamento de coima de 290.000 euros

Julgamento de Salgado arranca sem ex-banqueiro presente. Defesa diz que ausência tem "suporte legal"

  • Merkel: mãe e verbo da Alemanha moderna

    Angela Merkel

    Carinhosamente chamada pelos alemães de "Mutti" (mãe), protagonizou um estilo único de fazer política na Alemanha. Não era uma grande oradora, nem fazia discursos inspiradores, mas a postura pragmática valeu-lhe respeito e admiração. "Merkeln" passou a ser verbo na Alemanha, em alusão à forma como a chanceler toma decisões.

    Ana Luísa Monteiro