Operação Marquês

Julgamento de Salgado arranca sem ex-banqueiro presente. Defesa diz que ausência tem "suporte legal" 

Juiz já agendou sessões até finais de setembro.

Depois de dois adiamentos, arrancou esta terça-feira à tarde o julgamento de Ricardo Salgado, no Tribunal Central Criminal de Lisboa.

Está acusado de três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros, mas não está em tribunal. É um processo saído da Operação Marquês.

Ricardo Salgado não esteve no tribunal nem participou por videoconferência e foram ouvidas duas testemunhas.

À saída, o advogado de Salgado, Francisco Proença de Carvalho, insistiu que a ausência do ex-banqueiro cumpre a lei.

Além da sessão desta terça-feira, o juiz Francisco Henriques já agendou sessões até finais de setembro.

O antigo presidente do BES foi pronunciado pelo juiz de instrução Ivo Rosa por três crimes de abuso de confiança, em processo conexo e separado da Operação Marquês.

Audição de Machado da Cruz

Trinta minutos depois da hora marcada, o julgamento de Ricardo Salgado arrancou às 14:30 com a audição de Francisco António Machado da Cruz, de 62 anos e que atualmente está desempregado.

Ao coletivo de juízes, Machado da Cruz explicou que é licenciado em gestão e que foi "colaborador no Grupo Espírito Santo", onde foi "responsável pela contabilidade" durante uma década, entre 2004 e 2014.