Vacinar Portugal

Covid-19. Se países ricos não partilharem doses, vacinação mundial será um "falhanço" alerta OMS

A UE prometeu doar ao Covax 100 milhões de doses e os Estados Unidos 80 milhões. OMS pede que as promessas passem à prática e depressa.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta que a vacinação mundial contra a covid-19 será um "falhanço" se os países mais ricos não acelerarem a partilha de vacinas. O objetivo de inocular 250 milhões de pessoas dos países mais pobres até setembro está seriamente comprometido.

No Quénia, os guias turísticos foram vacinados com doses que chegaram através da Covax – a plataforma através da qual foram enviadas 80 milhões de vacinas para os países mais pobres. No entanto, não chega para garantir o objetivo.

A União Europeia prometeu doar pelo menos 100 milhões de doses até ao final do ano. Os Estados Unidos falam em 80 milhões até ao final de junho. A OMS pede que as promessas passem à prática e a uma velocidade maior.

Os alertas da OMS sobre o falhanço da vacinação mundial surgem no mesmo dia em que Bruxelas apresenta a proposta para aumentar a produção e o acesso mais equitativo às vacinas. É a alternativa ao levantamento temporário de patentes que, para os 27, continua a não ser nem a solução nem o caminho.

Veja mais: