Vacinar Portugal

Covid-19. Gouveia e Melo identifica problemas que deram origem às filas em Monte Abraão

O coordenador da task force visitou o centro de vacinação e anunciou que irá ser reorganizado para melhorar o atendimento.

O vice-almirante Gouveia e Melo esteve esta quarta-feira no centro de vacinação de Monte Abraão, em Sintra, onde se têm formados longas filas de espera. O coordenador da task force conclui que o problema resulta da falta de organização do centro e acredita que tudo estará resolvido daqui a uma semana.

A tranquilidade que se viu no dia da visita de Gouveia e Melo contrasta com o cenário que tem marcado os últimos dias: filas e atrasos têm sido recorrentes no centro de Monte Abraão. O coordenador da task force identificou o problema em menos de duas horas.

A disposição e a organização do espaço são pontos a melhorar. Também a falta de pontualidade está na origem do problema: a hora de abertura é às 09:00 e o primeiro utente do dia está agendado para as 09:01, o que pode levar a atrasos. Gouveia e Melo defende que a abertura tem de ser antecipada em cerca de 15 minutos.

O vice-almirante percebeu que o concelho de Sintra está atrasado e tem de receber mais vacinas, mas isso não significa que precise de um reforço de profissionais. Gouveia e Melo espera que daqui a uma semana os problemas do centro de vacinação de Monte Abraão estejam resolvidos.

Veja mais:

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros