Vacinar Portugal

Utentes vacinados com uma dose da Astrazeneca vão ser chamados para segunda toma

Alessandro Garofalo

O intervalo da toma da segunda dose da vacina da AstraZeneca foi reduzido de 12 para oito semanas.

As pessoas já vacinadas com a primeira dose da vacina da AstraZeneca vão ser chamadas, a partir desta quinta-feira, para receber a segunda dose da vacina contra a covid-19, cujo intervalo entre as tomas foi reduzido, anunciou o Governo.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou esta quinta-feira uma norma em que reduz de 12 para oito semanas o intervalo da toma entre a primeira e a segunda dose desta vacina para garantir "mais rápida proteção" perante a transmissão de novas "variantes de preocupação" do vírus SARS-CoV-2 como a Delta, associada à Índia.

"A norma entrou em vigor hoje e, a partir de hoje, as pessoas serão contactadas para antecipar das 12 para as 8 semanas os seus agendamentos, o que permitirá acelerar a proteção das pessoas que ainda só tinham uma dose", avançou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, em conferência de imprensa no final da reunião do Conselho de Ministros.

A ministra sublinhou que, de acordo com estudos realizados no Reino Unido, uma só dose da vacina "protege menos" contra a variante Delta.

"É na tentativa de mais uma vez, também não de acordo com o previsto, mas antecipando aquilo que estava previsto, que tomamos esta medida", afirmou Mariana Vieira da Silva.

Segundo a DGS, o esquema vacinal da VAXZEVRIA, também conhecida como a da Astrazeneca, é de duas doses com intervalo de oito a 12 semanas, "sendo atualmente recomendado o intervalo de oito semanas de forma a garantir a mais rápida proteção" conferida pela vacinação completa "perante a transmissão de novas variantes de preocupação (VoC) de SARS-CoV-2".

Em declarações à agência Lusa, o coordenador da Comissão Técnica de Vacinação Contra a Covid-19 da Direção-Geral da Saúde (DGS), Valter Fonseca, adiantou que o plano logístico de vacinação está já a ser adaptado a estas novas recomendações da Direção-Geral da Saúde para antecipar a segunda dose das pessoas já vacinadas com a primeira dose.

Segundo dados da DGS, já foram administradas em Portugal 6.879.429 vacinas, das quais 2.379.304 são segundas doses.

Portugal com mais duas mortes e 1.233 novos casos de covid-19 em 24 horas

Portugal contabiliza esta quinta-feira duas mortes e 1.233 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 17.057 mortes e 861.628 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 26.817 casos, mais 569 em relação a ontem.

O boletim da DGS revela que estão internados 364 doentes, mais 13 do que ontem. É o número mais alto de internamentos com covid-19 desde 26 de abril, quando estavam internadas 365 pessoas. Nos cuidados intensivos estão 88 doentes, mais cinco.

A taxa de incidência nacional é de 91,0 casos de infeção por 100 000 habitantes. No continente é de 90,5 casos de infeção por 100 000 habitantes.

O R(t) nacional é de 1,12, do continente é de 1,13.

  • Dentro do coração
    4:23

    Futuro Hoje

    Há 7 anos no Futuro Hoje mostrámos pela primeira vez um pacemaker que se instala dentro do coração. Em Portugal há muitas pessoas a quem este aparelho salvou a vida. Só o Dr. Diogo Cavaco, cardiologista que introduziu esta técnica no país, já instalou mais de cem aparelhos destes.