Vacinar Portugal

Covid-19. Lisboa e Vale do Tejo é a região com a vacinação completa mais atrasada

Canva

Dados são avançados pela Direção-Geral da Saúde.

Quase 4,7 milhões de pessoas em Portugal já receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19, o equivalente a 46% da população, e mais de 2,9 milhões (29%) têm a vacinação completa, anunciou esta terça-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o relatório semanal da vacinação divulgado pela DGS, 4.688.551 pessoas pessoas já estão vacinadas com a primeira dose e 2.947.718 já têm a vacinação completa.

Face à semana anterior, receberam a primeira dose mais 338.623 pessoas, enquanto outras 381.498 concluíram a vacinação.

VACINAÇÃO POR GRUPOS ETÁRIOS

Na vacinação do grupo etário das pessoas com mais de 80 anos, estão agora 98% (659.804 idosos) com a primeira toma já administrada e 93% (629.221) com as duas doses tomadas.

Já na faixa entre os 65 e 79 anos, 96% das pessoas desse grupo (1.543.716) já recebeu a primeira dose, percentagem que baixa para os 59% (945.894) no que se refere à vacinação completa.

No grupo entre os 50 e os 64 anos, 73% (1.575.758) já foram vacinados pela primeira vez e outros 43% (918.951) já receberam as duas doses de vacina contra a covid-19.

VACINAÇÃO POR REGIÕES

Por regiões, os dados da DGS indicam que o Norte continua a liderar no número de vacinas administradas, com um total de 2.649.426 doses, seguido por Lisboa e Vale do Tejo, onde foram administradas 2.552.100 doses.

O Centro é a terceira região do país onde mais pessoas receberam a vacina (1.362.741), seguindo-se o Alentejo (401.239), o Algarve (298.448), a Madeira (193.648) e os Açores (172.658).

Relativamente à cobertura vacinal por regiões, os dados da DGS indicam que o Alentejo tem 34% da população com a vacinação completa e o Centro e a Madeira têm 33%. O Norte regista 31% e o Algarve e os Açores 27%. Já Lisboa e Vale do Tejo é a região onde esse valor é menor: 24%.

Desde que se iniciou a vacinação contra a covid-19, a 27 de dezembro de 2020, Portugal já recebeu 8.604.606 vacinas, tendo sido distribuídas pelos postos de vacinação do território continental 7.566.600 doses.

Novo pico da pandemia previsto. Especialistas aconselham acelerar a vacinação

Há previsões para um novo pico de casos covid em Portugal dentro de cerca um mês. Os especialistas aconselham a acelerar a vacinação e até a avançar de forma diferente em cada região.

Não serão os números de janeiro, mas os cálculos da plataforma Covid 19 Insights, da Universidade Nova de Lisboa fala em dois mil casos diários para a segunda quinzena de julho. Isto se continuarmos com as mesmas medidas, se o ritmo de vacinação for o mesmo e os comportamentos individuais não mudarem.

Estimam os investigadores que haverá 500 doentes internados em enfermaria e até 150 em cuidados intensivos.

A plataforma considera que se deve acelerar a imunização para um ritmo diário de 150 mil pessoas por dia, como já aconteceu e se mostrou ser possível, mas vai um pouco mais longe nas recomendações de vacinação.

Acelerar os inquéritos epidemiológicos é outro dos conselhos, de forma a romper as cadeias de transmissão.

Em último lugar, os investigadores recomendam uma discriminação positiva das pessoas já com passaporte covid.

Ministra da Saúde aponta às 130 mil vacinas por dia em julho

A vacinação contra a covid-19 vai acelerar o ritmo nas próximas semanas e deve atingir a fasquia das 130 mil inoculações por dia em julho, revelou hoje a ministra da Saúde.

"O nosso objetivo é garantir que no mês de julho consigamos atingir mais de 130 mil vacinas administradas por dia. A 'task force' tem estado a trabalhar intensamente no sentido de maximizar todas as oportunidades de vacinação, em termos de disponibilidade de vacinas, de aproveitamento dos agendamentos e dos recursos afetos a este processo", disse Marta Temido à margem da tomada de posse da nova direção da Associação Nacional de Farmácias (ANF).

Perante a nova presidente da ANF para o mandato entre 2021 e 2023, Ema Paulino, Marta Temido reiterou que, apesar da disponibilidade de cooperação manifestada, a opção de vacinação contra a covid-19 nas farmácias continua a ser "uma possibilidade".

Paralelamente, explicou as razões para o auto-agendamento não ficar imediatamente acessível aos utentes com mais de 35 anos, mas apenas para quem tem pelo menos 37 anos.

"Terá sido uma questão de gestão do próprio processo. Quando abre a vacinação para uma determinada faixa etária, automaticamente as pessoas acorrem e gera-se um fenómeno de espera. Se abrirmos em duas fases ao longo da mesma semana, conseguimos gerir melhor as respostas e estamos convencidos de que isso será uma melhor solução para aqueles que pretendem auto-agendar-se", salientou.

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias