Vacinar Portugal

Covid-19. Vacinação em "casa aberta" disponível para maiores de 35 anos

Pedro Nunes

Quem optar por ser vacinado nesta modalidade receberá a vacina da Johnson & Johnson.

As pessoas com 35 ou mais anos sem agendamento da vacinação podem dirigir-se, a partir desta terça-feira, aos centros "casa aberta" para receberem a primeira dose da vacina contra a covid-19, anunciou a task force.

"A modalidade "casa aberta" encontra-se disponível, a partir de hoje, para a vacinação de primeiras doses de utentes que não estejam agendados, com idade igual ou superior a 35 anos e que não tenham sido infetados com covid-19 nos últimos seis meses", adiantou em comunicado a estrutura responsável pelo processo da vacinação.

Segundo a task force, quem optar por ser vacinado nesta modalidade receberá a vacina da Johnson & Johnson, de dose única, "devendo os utentes ter em consideração o estipulado" na norma da Direção-Geral de Saúde, que recomenda a administração desta vacina a homens com 18 ou mais anos e a mulheres com 50 ou mais anos.

"Desde 19 de julho, a modalidade "casa aberta" está condicionada à utilização da vacina da Johnson & Johnson", adiantou a estrutura liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo.

Quem ainda não recebeu a 2.ª dose da vacina da AstraZeneca não necessita de marcação

A task force recordou ainda que as pessoas que não receberam a segunda dose da vacina da AstraZeneca não necessitam de marcação para a segunda toma, bastando que se dirijam ao respetivo centro no horário específico para esta modalidade de vacinação.

De acordo com a task force, os utentes que se encontram nesta situação, e que não tenham ainda sido contactados pelos serviços de saúde, podem-se dirigir "proativamente ao mesmo centro de vacinação covid-19 (CVC) onde tomaram a primeira dose" para receber a segunda toma.

Em junho, a Direção-Geral da Saúde (DGS) decidiu reduzir o intervalo da toma da segunda dose da vacina da Astrazeneca de 12 para oito semanas para garantir uma "mais rápida proteção" perante a transmissão de novas "variantes de preocupação" do vírus SARS-CoV-2.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.219 pessoas e foram registados 935.246 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Os números da vacinação em Portugal e no Mundo

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia