A vacinação em Portugal e no Mundo

Noruega investiga mais duas mortes após toma da vacina da AstraZeneca

Kai Pfaffenbach

Dinamarca, Suécia e Noruega mantêm a suspensão da vacina.

As autoridades de saúde norueguesas estão a investigar as mortes de mais duas pessoas após receberem a vacina contra a covid-19 da farmacêutica AstraZeneca, que apresentaram um quadro tromboembólico incomum, foi anunciado esta segunda-feira.

Quatro pessoas morreram no total neste país nórdico nas últimas duas semanas com um quadro que inclui plaquetas baixas, coágulos sanguíneos e hemorragia, semelhante ao detetado em vários países.

Dois outros pacientes ainda estão internados no Hospital Universitário de Oslo (OAS) com sintomas semelhantes, disseram as autoridades, confirmando que alguns dos mortos eram profissionais de saúde com menos de 50 anos.

"A Agência de Medicamentos não pode excluir que esses casos podem ter uma conexão com a vacina", disse a agência num comunicado, sublinhando que esses sintomas não foram vistos em pessoas que receberam as outras vacinas covid-19 usadas na Noruega, como da Pfizer-BioNTech e Moderna.

Este órgão, o Instituto de Saúde Pública e o OAS colaboram na investigação dos casos na Noruega, que, juntamente com Dinamarca e Suécia, mantém a suspensão da vacina decretada há mais de uma semana até a emissão de um parecer final, que será anunciado nos próximos dias.

Outros países europeus, como Portugal, Itália, Espanha ou Alemanha, retomaram ou vão retomar a vacinação com o medicamento da AstraZeneca depois das conclusões anunciadas pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), que assegurou na quinta-feira que não há evidências de relação direta dos casos com a vacina, mas também não descartou totalmente a possibilidade.

Confiança dos europeus na vacina da AstraZeneca caiu de fevereiro para março

Os europeus estão mais reticentes quanto à vacina da AstraZeneca e têm mais reservas do que em relação às vacinas produzidas pela Pfizer/ BioNTech ou pela Moderna.

Esta é a principal conclusão de um estudo de opinião realizado pela empresa britânica YouGov, realizado em sete países - Reino Unido, Alemanha, França, Itália, Espanha, Dinamarca e Suécia - entre os dias 12 e 18 de março, através de 8 mil entrevistas.

Os receios sobre a segurança e a possibilidade de formação de coágulos nas últimas semanas vieram danificar ainda mais a percepção pública da vacina produzida em cooperação com a Universidade de Oxford. Nas últimas duas semanas, pelo menos 13 países suspenderam a toma de vacinas da AstraZeneca.

  • Dez dicas para pais, alunos e escolas no regresso às aulas

    País

    O regresso à escola é sempre desafiante para pais, crianças e professores. Os novos começos não são fáceis e, por isso, às vezes é bom contar com ajuda. Reunimos dez dicas: cinco de um professor e cinco de uma psicóloga que podem ser usadas como um guia prático para quem quer entrar com o pé direito no novo ano letivo.

    Ana Luísa Monteiro