Coronavírus

Novo estudo garante eficácia de 79% da vacina da AstraZeneca e sem riscos de coágulos sanguíneos

Kai Pfaffenbach

Resultados da última fase dos ensaios clínicos da vacina

Saiba mais...

A AstraZeneca afirma que a sua vacina tem eficácia de 80% nos idosos, 79% na população em geral e não provoca coágulos sanguíneos, segundo os resultados apresentados hoje da fase 3 e última dos ensaios clínicos desta vacina contra a covid-19.

Vários países não administraram esta vacina aos idosos devido à falta de dados para a faixa etária acima dos 65 em ensaios anteriores. Muitos mais suspenderam o seu uso pelo receio que pudesse causar coágulos sanguíneos, às vezes fatais.

Os ensaios clínicos de fase 3 implementados pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford foram realizados com 32.449 participantes, dois terços receberam uma dose da vacina

20% tinham mais de 65 anos e 60% tinham problemas de saúde associados a maiores riscos de desenvolver uma forma grave de covid-19, como diabetes, obesidade ou problemas cardíacos.

Os resultados mostraram que não houve um risco aumentado de trombose entre os participantes que receberam pelo menos uma dose.

Administração da vacina da AstraZeneca retomada em Portugal continental

Uma semana após a suspensão, a vacina contra a covid-19 volta a ser administrada aos portugueses em território continental, depois de já ter sido retomada nos Açores e Madeira.

Na Madeira, a vacina voltou a ser usada na passada sexta-feira, um dia depois das autoridades de saúde recomendarem a continuidade da vacinação. Já nos Açores, a vacina voltou a ser administrada no sábado.

Portugal recebeu cerca de 400 mil doses da vacina da Astrazeneca: 230 mil já foram administradas.

"É um direito de cada um decidir se quer ou não a vacina", não deve ser penalizado

Vacinas contra a covid-19: as que estão a ser usadas e as que estão a caminho

Em menos de um ano desde que foi declarada a pandemia foram desenvolvidas várias vacinas em laboratórios por todo o mundo. A primeira vacina a obter autorização de emergência para inoculação foi a da Pfizer e BioNTech. O Reino Unido foi o primeiro país a aprovar esta vacina e a iniciar a campanha de vacinação, em dezembro de 2020.

Até ao final de fevereiro de 2021 havia um total de 69 vacinas - compreendendo as que estão já em utilização e as que estão em ensaios clínicos, segundo a Organização Mundial de Saúde. Há ainda 181 ainda em desenvolvimento no estádio pré-clínico, ou seja, ainda não foram testadas em seres humanos.

Mais de 2,7 milhões de mortos em todo o mundo

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.710.382 mortos no mundo, resultantes de mais de 122,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países mais atingindos continuam a ser os Estados Unidos, o Brasil, o México e a Índia.

Em Portugal, morreram 16.768 pessoas dos 817.530 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global