A vacinação em Portugal e no Mundo

Sete mortos no Reino Unido após vacina da AstraZeneca. Regulador insiste em riscos "muito pequenos"

Massimo Pinca

Número da Agência Reguladora de Medicamentos e Cuidados de Saúde do Reino Unido.

Sete pessoas que tomaram a vacina da AstraZeneca contra a covid-19 morreram com problemas associados a coágulos sanguíneos, no Reino Unido.

Num comunicado enviado à agência France-Presse, a Agência Reguladora de Medicamentos e Cuidados de Saúde do Reino Unido (MHRA) diz que sete pessoas morreram de coágulos sanguíneos, num total de 30 casos identificados até agora.

O regulador insiste que os riscos associados à vacina são "muito pequenos" e que a população deve continuar a ser vacinada, já que os beneficios ultrapassam os eventuais perigos.

Até ao final de março, foram registados 30 casos de coágulos em mais de 18 milhões de vacinados.

Dos 30 incidentes, 22 correspondem a tromboses venosas cerebrais (TVC) e os restantes oito estão relacionados com plaquetas baixas.

Segundo a MHRA, sete destas pessoas vacinadas morreram e estão a decorrer investigações para apurar a relação das mortes com a vacina da AstraZeneca.

A diretora da MHRA, June Raine, diz no comunicado que nenhum caso semelhante foi sinalizado para a vacina da Pfizer/BioNTech.

"As vantagens da vacina da AstraZeneca para prevenir a infeção com covid-19 e as suas complicações continuam a ser largamente superiores aos riscos e o público deve continuar a receber a vacina", disse ainda Raine.

Países Baixos suspendem vacina em pessoas com menos de 60 anos

Os Países Baixos suspenderam as injeções da vacina AstraZeneca em pessoas com menos de 60 anos, após terem ocorridos casos de coágulos sanguíneos, segundo as autoridades de saúde.

"A causa imediata para essa decisão é a notificação de casos de trombose associada à baixa contagem de plaquetas após as vacinações", justificou o serviço público de saúde.

Em comunicado, o ministério da Saúde explicou que esta decisão ocorreu após cinco novos casos que afetaram mulheres entre os 25 e os 65 anos.

"Temos que ter cuidado, por isso, é aconselhável apertar o botão de pausa como medida de precaução", considerou o ministro da Saúde, Hugo de Jonge.

Desta forma, foram adiadas cerca de 10.000 vacinações que estavam previstas para a próxima semana a membros dos serviços de saúde holandeses com menos de 60 anos.

A suspensão deve durar até 7 de abril, altura em que a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) dará mais orientações sobre o assunto.

Veja também:

  • Regresso ao futuro

    Opinião

    "Queremos assegurar que os novos líderes estão unidos por um conjunto de valores que torna claro que a liderança não é sobre ego" (David Simas, Presidente da Fundação Obama)

    Germano Almeida