Vacinar Portugal

Covid-19. Vacinação na Europa é "inaceitavelmente lenta", admite OMS

A União Europeia e o Reino Unido estão em competição por 10 milhões de doses da AstraZeneca.

A Organização Mundial de Saúde considera que a vacinação contra a covid-19 na Europa está a ser “inaceitavelmente lenta”. O continente tenta de tudo para compensar a quebra de doses compradas e não entregues. Na Alemanha, Angela Merkel faz um apelo para a contenção.

No dia em que o Presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, recebeu a primeira dose da vacina da AstraZeneca, a Chanceler alemã fez um apelo para que a população cumpra as regras e evite viagens não essenciais no fim de semana da Páscoa. Em causa está a capacidade de resposta dos hospitais.

Enquanto não chega 1,5 milhões de doses encomendadas para abril, as duas maiores cidades da Alemanha – Berlim e Hamburgo – impõem recolher obrigatório e limitação de horários no comércio. Estas medidas substituem a planeada reabertura da economia.

Até o responsável pela Europa na Organização Mundial de Saúde admite que o ritmo de vacinação no continente está a ser “inaceitavelmente lento”. Apenas 10% dos europeus foram vacinados com uma dose, contra 46% dos britânicos.

A Agência Reuters noticia a competição entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido por 10 milhões de doses da AstraZeneca, produzidas na Índia e que habitualmente são compradas por países com menores rendimentos.

A UE está a ponderar redistribuir os 10 milhões de doses a entregar pela Pfizer, como forma de compensar os países pela não entrega da AstraZeneca, mas a medida não teve consenso. Certos estudos dão conta que a vacina da Pfizer provoca mais reações adversas, mas as da AstraZeneca serão mais graves.