A vacinação em Portugal e no Mundo

Covid-19. Brasil entre os países que vão receber vacinas doadas pelos EUA

Canva

Através do mecanismo Covax.

O Brasil está entre os países da América Latina e das Caraíbas que receberão 14 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 doadas pelos Estados Unidos da América, através do mecanismo Covax, informaram esta segunda-feira fontes oficiais.

A informação foi esta segunda-feira confirmada pela Casa Branca, que indicou que essas doses fazem parte dos 80 milhões de vacinas que o Presidente norte-americano, Joe Biden, prometeu distribuir a outros países antes do final de junho.

"A administração Biden-Harris está a anunciar a lista de distribuição de 55 milhões dos 80 milhões de doses do próprio suprimento de vacinas norte-americano que o Presidente Biden se comprometeu a distribuir até o final de junho para acabar com a pandemia globalmente", indicou a Casa Branca em comunicado.

41 milhões de doses distribuídos através da Covax

Dos 80 milhões de doses, "os EUA compartilharão 75% através da Covax [mecanismo promovido pela Organização Mundial Organização de Saúde (OMS)] e 25% serão direcionados para ajudar a lidar com surtos em todo o mundo", acrescentou.

Nesse sentido, desses 55 milhões de doses, 41 milhões serão distribuídos através da Covax e, desses, cerca de 14 milhões irão para a América Latina e Caraíbas, para países como Brasil, Argentina, Colômbia, Peru, Equador, Paraguai, Bolívia, Uruguai, Guatemala, El Salvador, Honduras, Haiti e outros países da Comunidade das Caraíbas (Caricom), República Dominicana, Panamá e Costa Rica.

Aproximadamente 16 milhões serão destinados para a Ásia para os seguintes países: Índia, Nepal, Bangladesh, Paquistão, Sri Lanka, Afeganistão, Maldivas, Butão, Filipinas, Vietname, Indonésia, Tailândia, Malásia, Laos, Papua Nova Guiné, Taiwan, Camboja e Ilhas do Pacífico.

Outros 10 milhões serão destinados para África, para serem compartilhados com os países que "serão selecionados em coordenação com a União Africana".

Os Estados Unidos reservaram mais 14 milhões de doses - 25% do total de 55 milhões pendentes de distribuição - para países que são prioridades regionais ou que precisam delas, explicou a Casa Branca.

Vários países da América do Sul e das Caraíbas também se beneficiarão dessas entregas diretas para aliados regionais, incluindo Colômbia, Argentina, Costa Rica, Panamá, República Dominicana, Haiti e outras nações do Caricom.

A administração de Biden não especificou quantas doses irão para cada um desses países, e a lista de nações beneficiadas com esses 14 milhões de vacinas também inclui cerca de 20 outros territórios na Ásia, África, Médio Orientes e do leste Europeu.

"Assim como fizemos na nossa resposta doméstica, agiremos o mais rapidamente possível, cumprindo os requisitos legais e regulamentares dos Estados Unidos e do país anfitrião, para facilitar o transporte seguro de vacinas através das fronteiras internacionais", indica comunicado.

"As vacinas e as quantidades específicas serão determinadas e compartilhadas à medida que a administração trabalha através de parâmetros logísticos, regulatórios e outros específicos de cada região e país", concluiu a Casa Branca.