A vacinação em Portugal e no Mundo

Covid-19. Israel começou a administrar a terceira dose da Pfizer

Correspondente SIC

Regulador norte-americano opõe-se à terceira dose. OMS considera desnecessária para já.

Contra a opinião da OMS e contra a opinião da autoridade do medicamento norte-americana, Israel já começou a administrar uma terceira dose da vacina Pfizer. Os primeiros a receber a vacina são pessoas com sistemas imunitários muito frágeis. O correspondente da SIC Henrique Cymerman explica porque Israel decidiu ir contra as recomendações internacionais.

Israel é o primeiro país mundial que decide aplicar uma terceira dose da vacina Pfizer. Em vários hospitais do país e em centros de vacinação, milhares de pessoas com sistemas imunitários comprometidos começaram a ser vacinados.

Mais de 6 milhões de pessoas foram vacinadas em Israel contra o covid-19 nos últimos meses. Segundo a farmacêutica Pfizer a eficácia da proteção começou a cair após seis meses da segunda dose. Foi por isso que a companhia dirigida por Albert Bourla, solicitou uma autorização de emergência nos Estados Unidos para aplicar uma dose de reforço da vacina. A FDA, a agência norte-americana de regulamentação de remédios, rejeitou o pedido da Pfizer.

A Organização Mundial da Saúde considera que a terceira dose não é necessária neste momento. A sua prioridade é fornecer as primeiras vacinas aos países mais pobres.

A luta global contra o coronavírus entrou numa nova etapa. Em Israel, em abril, o Governo anulou completamente todas as restrições, quando tinha só umas dezenas de infetados.

Nos últimos dias, o número de casos aumentou para mais de 500 por dia. A boa notícia é que, por enquanto, o número de casos graves cresceu de forma mínima. Por isso, o Governo decidiu não adotar ainda medidas que afetem a economia.

Em Israel, a comunidade científica está dividida. No entanto, a maioria dos 100 cientistas que aconselham o Governo durante a pandemia apoiou a aplicação da terceira dose para toda a população.

O grande temor é que apareçam novas mutações. A aplicação da terceira dose parece ser a única estratégia oferecida pela comunidade científica para travar o avanço do covid-19.