Os números da Covid-19

Portugal com mais 11 mortes e 592 novos casos de covid-19 em 24 horas

Pedro Nunes

Número de internamentos é o mais baixo desde 21 de setembro.

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 11 mortes e 592 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

É o segundo dia consecutivo em que o valor de novos casos ronda os 600, número acima do habitual nas últimas semanas.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 16.859 mortes e 822.314 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta quinta-feira ativos 26.543 casos, menos 121 em relação a quarta-feira.

O boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 538 doentes (menos 20 do que na quarta-feira), o número mais baixo desde 21 de setembro, dia em que estavam internadas 518 pessoas.

Nos cuidados intensivos, Portugal tem hoje 129 doentes, mais dois em relação a quarta-feira.

Os dados indicam ainda que mais 702 doentes foram dados como recuperados, fazendo subir para 778.912 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 15.950 contactos, mais 150 relativamente ao dia anterior.

DADOS POR REGIÃO

Das 11 mortes registadas nas últimas 24 horas, 6 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo e 4 no Norte e uma na região Centro.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 267 novas infeções, contabilizando-se até agora 311.729 casos e 7.135 mortos.

A região Norte tem 150 novas infeções por SARS-CoV-2 e desde o início da pandemia já contabilizou 330.823 casos de infeção e 5.305 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 41 casos, acumulando-se 117.204 infeções e 2.999 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 35 casos, totalizando 29.115 infeções e 970 mortos desde o início da pandemia em Portugal.

A região do Algarve tem notificados 64 novos casos, somando 20.739 infeções e 353 mortos.

Na região Autónoma da Madeira foram registados 26 novos casos, contabilizando 8.632 infeções e 68 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm hoje 9 novos casos, contabilizam 4.072 casos desde o início da pandemia e 29 mortos.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

DADOS POR GÉNERO E FAIXA ETÁRIA

Os casos confirmados hoje a nível nacional distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo do maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 372.558 homens e 449.470 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 286 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.849 eram homens e 8.010 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.112 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.576 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.502 tinham entre os 60 e os 69 anos.

É preciso acabar com vacinação por grupos e avançar para vacinação por idades, defende Gouveia e Melo

O vice-almirante Gouveia e Melo, em entrevista ao Jornal Público e à Rádio Renascença, defende que "é preciso acabar com a vacinação por grupos de doenças e avançar para a vacinação por idades".

O líder do grupo de trabalho responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19 vai ainda mais longe e diz que "não faz sentido ficar a maior parte da população à espera que se vacinem os grupinhos todos". Dessa forma, garante, vão "acumular-se doses em armazém que podiam estar a proteger pessoas".

A posição do vice-almirante refere-se à metodologia da segunda fase da campanha de vacinação, cujo primeiro teste de funcionamento deve acontecer na terceira semana de abril.

Para Gouveia e Melo, a exceção do critério da idade deve ser para pequenos grupos com doenças raras ou muito específicas e que, pelo critério da idade, teriam que esperar meses pela vacina.

MAIS DE MEIO MILHÃO DE PORTUGUESES COM VACINAÇÃO COMPLETA CONTRA A COVID-19

Perto de meio milhão de pessoas têm a vacinação completa contra a covid-19 e mais de 1,1 milhões já receberam a primeira dose da vacina, indica o relatório semanal da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta quarta-feira.

Segundo a DGS, 500.275 portugueses já receberam as duas doses da vacina contra o vírus SARS-CoV-2, o que equivale a 5% da população, tendo já sido administrada a primeira toma a 1.196.971 pessoas (12%).

O sétimo relatório da DGS indica ainda que, na última semana, 20.918 pessoas ficaram com a vacinação completa e que outras 252.979 foram vacinadas com a primeira dose.

"Não é hora de relaxar". OMS diz que são necessárias novas restrições

A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu esta quinta-feira como "necessárias" novas restrições na Europa devido ao crescente número de casos do SARS-CoV-2, ao avanço da variante britânica e ao aumento da mobilidade pela semana da Páscoa.

"A situação na região é agora mais preocupante do que vimos em vários meses", disse a diretora regional da OMS para Emergências na Europa, Dorit Nitzan. "Muitos países estão a introduzir novas medidas (de combate à pandemia) que são necessárias e todos devem segui-las tanto quanto possível", acrescentou.

Em sua opinião, também existem "riscos associados" ao "aumento da mobilidade" e às reuniões nestes feriados da Páscoa.

Numa nota, do seu escritório europeu, a OMS também chamou de "inaceitavelmente" lento o ritmo da campanha de vacinação no continente.

  • Regresso ao futuro

    Opinião

    "Queremos assegurar que os novos líderes estão unidos por um conjunto de valores que torna claro que a liderança não é sobre ego" (David Simas, Presidente da Fundação Obama)

    Germano Almeida