Mundo

Curdos da Síria entregam mais 12 órfãos franceses e 2 holandeses

Kai Pfaffenbach

Crianças- a mais velha com 10 anos- viviam em campos de refugiados do nordeste da Síria e foram entrregues pelas autoridades curdas que há meses têm exigido o repatriamento de mulheres e crianças de jihadistas estrangeiros

Ali Jarekji

As autoridades curdas na Síria entregaram no domingo 12 órfãos de famílias de 'jihadistas' a uma delegação francesa, disse hoje um alto funcionário curdo num comunicado.

Os curdos entregaram "12 órfãos franceses de famílias de 'jihadistas' a uma delegação do Ministério dos Negócios Estrangeiros da França", disse Abdelkarim Omar, um alto funcionário do ministério dos Negócios Estrangeiros da Administração curda.

As crianças, tendo a mais velha apenas 10 anos, viviam em campos no nordeste do país, onde dezenas de milhares de pessoas estão a viver após fugirem da ofensiva contra o último reduto do grupo extremista Daesh.

Omar disse que a operação teve lugar no domingo, na cidade de Ain Issa, perto da fronteira com a Turquia, e acrescentou que dois órfãos holandeses também foram entregues a uma delegação do Governo do seu país.

De acordo com o Governo francês, cerca de 450 cidadãos franceses filiados ao EI estão presos ou a ser mantidos em campos de refugiados.

Campos de Refugiados na Síria

As autoridades curdas administram campos de refugiados no nordeste da Síria, onde moram milhares de mulheres e crianças de 'jihadistas' estrangeiros.

Durante vários meses, os curdos têm exigido o repatriamento de mulheres e crianças de 'jihadistas' estrangeiros e estão a trabalhar ativamente nessa questão.

Duas mulheres norte-americanas e seis crianças de famílias relacionadas com o Daesh na Síria foram repatriadas na semana passada para os Estados Unidos.

Órfãos também já foram entregues à Noruega e cerca de 150 mulheres e crianças ao Uzbequistão.

Depois de vencer o último reduto dos 'jihadistas' no leste da Síria, após uma ofensiva apoiada por uma coligação internacional liderada por Washington, combatentes curdos e árabes das Forças Democráticas da Síria (FDS) proclamaram a 23 de março a derrota do "califado" do EI.

LUSA