Mundo

Teerão avisa Donald Trump que ideia de guerra curta é falsa e ilusória

Carlos Barria

O ministro iraniano referia-se a declarações feitas na quarta-feira pelo Presidente norte-americano.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano alertou esta quinta-feira que a ideia do Presidente norte-americano de travar uma "guerra curta" com o Irão é falsa e ilusória e defendeu que não é possível negociar e ameaçar ao mesmo tempo.

A ideia de uma "'guerra curta' com o Irão é uma ilusão", escreveu Mohammad Javad Zarif numa mensagem divulgada na rede social Twitter.

O ministro iraniano referia-se a declarações feitas na quarta-feira, quando Donald Trump afirmou, em entrevista, que se houver guerra com o Irão será de curta duração e irá "obliterar" o país.

Para Mohammad Javad Zarif, este tipo de declarações constitui "uma ameaça à paz".

Na sua mensagem no Twitter escreveu: "As sanções não são uma solução alternativa à guerra, SÃO uma guerra" e acrescentou: "Obliteração = Genocídio = Crime de guerra".

Além disso, adiantou, "aquele que começa uma guerra não é aquele que a acaba" e "não se pode alternar entre negociações e ameaças".

Trump garante posição de força em caso de conflito

Embora tenha afirmado esperar que não haja guerra, Donald Trump sublinhou que, caso o conflito aconteça, os Estados Unidos estão "numa posição muito forte e [a guerra] não durará muito tempo".

Trump também afastou a possibilidade de "enviar militares para o terreno" em caso de conflito com Teerão.

Aumenta a tensão

As relações entre Washington e Teerão têm estado muito tensas desde o ano passado, quando Trump decidiu retirar unilateralmente os Estados Unidos do acordo sobre o nuclear e restabelecer sanções ao Irão.

Em maio deste ano, o Irão respondeu, suspendendo alguns dos compromissos a que estava sujeito pelo acordo nuclear de 2015, aumentando a produção de urânio enriquecido, mas arriscando mais sanções económicas.

Nos últimos dias, a tensão voltou a aumentar quando os Estados Unidos acusaram o Irão de ter derrubado um 'drone' [aparelho aéreo não-tripulado] norte-americano, que levou Washington a preparar ataques aéreos retaliatórios, cancelados à última hora.

Na terça-feira, o Irão anunciou que irá libertar-se "resolutamente" de dois outros dos seus compromissos no quadro do acordo internacional sobre o seu programa nuclear "a partir de 07 de julho" e disse estar cansado da "insolência" dos europeus.

A Europa adotou uma série de medidas de contraponto em relação às sanções económicas impostas pelos Estados Unidos desde maio de 2018, mas estas não têm sido eficazes.

Lusa

  • Portugal suspende vistos a iranianos
    2:20