Mundo

Ministro do Ambiente do Brasil vaiado em evento da ONU sobre alterações climáticas

STR

Desflorestação da Amazónia aumentou 50% este ano em relação ao ano de 2018.

O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, foi esta quarta-feira vaiado num evento sobre Mudanças Climáticas promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU), em Salvador, no nordeste do país, que reúne participantes de 26 países.

Segundo informações da imprensa local, além das vaias, muitos participantes empunharam cartazes contra as ações do ministro e a política do Governo brasileiro na área ambiental.

No início do ano, Ricardo Salles declarou que iria cancelar esta iniciativa porque o Brasil já tinha desistido de sediar a Conferência do Clima da ONU, a COP 25, que decorrerá em dezembro no Chile.

O Governo brasileiro acabou por recuar e a Semana Latino-Americana sobre Mudança do Clima realiza-se esta semana em Salvador.

Vaiado inúmeras vezes durante o discurso, Salles afirmou que o Brasil tem um compromisso na área ambiental, embora a sua gestão esteja a gerar críticas dentro e fora do país.

Os governos da Alemanha e da Noruega, principais doadores do fundo Amazónia, usado para incentivar a exploração sustentável da maior floresta tropical do mundo, anunciaram recentemente o cancelamento de doações em dinheiro que pretendiam fazer porque a desflorestação está a crescer sem um combate efetivo do Governo brasileiro.

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais brasileiro revelam um aumento na desflorestação da Amazónia de 50% neste ano quando comparado com 2018.

Houve também um aumento de 83% no número de incêndios florestais de janeiro a agosto face ao período homólogo do ano passado.

Os incêndios florestais ganharam visibilidade esta semana porque uma nuvem de fumo produzida por incêndios no Paraguai, Bolívia e também na região amazónica do Brasil transformou o dia em noite na cidade de São Paulo.

Na terça-feira, o ministro do Meio Ambiente disse que a nuvem que encobriu regiões de São Paulo era uma notícia falsa e criticou o "sensacionalismo ambiental" sobre o tema.

A Amazónia possui a maior biodiversidade registada numa única área do planeta. Tem cerca de cinco milhões e meio de quilómetros quadrados e inclui territórios do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa (território pertencente à França).

A NASA divulgou uma imagem aérea da Amazónia, no Brasil, onde foram detetados 72 mil focos de incêndio.

A NASA divulgou uma imagem aérea da Amazónia, no Brasil, onde foram detetados 72 mil focos de incêndio.

NASA EARTH OBSERVATORY HANDOUT

Com Lusa