Mundo

Nobel da Paz atribuído ao primeiro-ministro da Etiópia

Reuters

Abiy Ahmed Ali distinguido pelos seus esforços pela "paz e reconciliação".

O Prémio Nobel da Paz de 2019 foi hoje atribuído ao primeiro-ministro etíope Abiy Ahmed pelos seus esforços para a paz na Eritreia, informou o Comité Nobel norueguês.

De acordo com o comunicado divulgado pelo júri, o prémio foi atribuído ao primeiro-ministro da Etiópia pelo "seu importante trabalho para promover a reconciliação, a solidariedade e a justiça social".

O prémio também visa reconhecer "todas as partes interessadas que trabalham pela paz e reconciliação na Etiópia e nas regiões leste e nordeste da África", sublinha a nota.

"Abiy Ahmed Ali iniciou importantes reformas que proporcionam a muitos cidadãos a esperança de uma vida melhor e de um futuro melhor", acrescenta o comunicado.

O Comité Norueguês do Nobel acredita que é agora que os esforços de Abiy Ahmed merecem reconhecimento e precisam de incentivo.

No ano passado, o prémio foi atribuído ao médico congolês Denis Mukwege e à ativista de direitos humanos Nadia Murad devido aos esforços dos dois laureados para acabar com a violência sexual como arma nos conflitos e guerras de todo o mundo.

Os galardoados recebem um cheque de 9 milhões de coroas - 830.000 euros -, uma medalha e um diploma.

O prémio será formalmente atribuído a 10 de dezembro numa cerimónia em Oslo..