Mundo

Ex-Presidente do Sudão condenado a 2 anos de prisão por corrupção

Mohamed Nureldin Abdallah

Omar al Bashir foi deposto em abril ao fim de 3 décadas no poder.

Um tribunal de Cartum condenou hoje o ex-presidente do Sudão Omar al Bashir a dois anos de prisão por um crime de enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro, naquela que é a primeira condenação contra o ex-chefe de Estado afastado do poder em abril passado.

O tribunal considerou al Bashir culpado por posse ilegal de moeda estrangeira depois de as autoridades apreenderem sete milhões de euros em sua casa, dias após a sua saída do poder.

Este foi o primeiro veredito de vários processos judiciais contra al Bashir, também procurado pelo Tribunal Penal Internacional devido a acusações de crimes de guerra e genocídio no conflito de Darfur nos anos 2000.

O veredito tem lugar um ano após os manifestantes sudaneses começarem sua revolta contra o regime autoritário de três décadas de Al-Bashir.

Al Bashir, de 75 anos, está sob custódia desde abril, quando os militares do Sudão entraram e o removeram do poder após meses de protestos em todo o país.

A revolta acabou por forçar os militares a um acordo de partilha de poder com civis.

O ex-homem forte do Sudão foi acusado, no início deste ano, de lavagem de dinheiro, depois de milhões de dólares, euros e libras sudanesas terem sido apreendidos em sua casa logo após a sua saída da presidência.

O Governo de transição militar-civil do país não indicou até agora se vai entregar Al-Bashir a Haia.