Mundo

Novo balanço das explosões em Beirute. Pelo menos 135 mortos e 5 mil feridos

NABIL MOUNZER

Há centenas de pessoas desaparecidas.

O novo balanço das autoridades libanesas indica que pelo menos 135 pessoas morreram na sequência das explosões em Beirute e outras 5.000 ficaram feridas.

O Governo libanês decretou esta quarta-feira o estado de emergência por duas semanas em Beirute, na sequência das explosões devastadores e mortíferas no porto da capital do Líbano.

O QUE ACONTECEU?

Duas fortes explosões sucessivas sacudiram Beirute na terça-feira.

As violentas explosões deverão ter tido origem em materiais explosivos confiscados e armazenados há vários anos no porto da capital libanesas.

O primeiro-ministro libanês revelou que cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amónio estavam armazenadas no depósito do porto de Beirute que explodiu.

O perigo do nitrato de amónio

Em Portugal, há limite para o transporte e armazenamento de nitrato de amónio.

Quem lida com ele garante que não é perigoso, desde que sejam cumpridas as normas de segurança.

O Líbano é conhecido como um grande um grande consumidor de fertilizante químico: com 330 quilogramas por hectare, o país utiliza duas vezes mais que a média mundial, assinalava em fevereiro a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Os relatos de quem testemunhou as explosões em Beirute

Portugal vai enviar ajuda

A intervenção de equipas do INEM no Líbano será definida pelo mecanismo europeu de proteção civil e deverá ser conhecida nas próximas 24 horas.

O Governo português expressou esta quarta solidariedade com o Líbano e o seu povo, na sequência das explosões em Beirute que causaram mais de 100 mortos e milhares de feridos e vai participar no plano de apoio da União Europeia.

Veja também: