Mundo

História repete-se. Polícia norte-americana mata homem negro com vários tiros

Brendan McDermid

Este é mais um caso que dá força aos protestos contra o racismo nos EUA.

A polícia norte-americana matou mais um homem negro, esta segunda-feira, no sul de Los Angeles. À noite, no local, uma centena de manifestantes juntaram-se a exigir justiça.

O departamento da polícia de Los Angeles disse que, por volta das 15:15 (hora local), dois agentes tentaram parar um homem de bicicleta que, segundo dizem, violava a lei. Quando foi abordado, o homem desceu da bicicleta e começou a correr.

O tenente Brandon Dean comunicou aos jornalistas que os agentes apanharam o suspeito a cerca de um quarteirão de distância e que, quando o abordaram, o homem deu um soco a um deles, deixanda cair peças de roupa, avança a CNN.

De acordo com a polícia, no meio da roupa que o suspeito deixou cair estava uma arma preta semiautomática. Os agentes abriram fogo, atingindo o homem com vários tiros.

O departamento de polícia revelou que uma arma foi apreendida no local, mas não divulgou a identidade do homem, que foi apenas descrito como tendo cerca de 30 anos.

A morte do homem negro ocorre numa altura em que se multiplicam os protestos públicos contra a violência policial, nomeadamente, o caso que envolve Jacob Blake em Kenosha, Wisconsin, a 23 de agosto e a morte de George Floyd em Minneapolis, em maio.

Os agentes ainda não foram questionados e não estavam a utilizar câmaras corporais. O Ministério Público está a investigar o caso e já foram pedidas imagens de vídeovigilância da área, ou de testemunhas que possam ter filmado o momento.

O grupo Black Lives Matter L.A. convocou, nas redes sociais, manifestantes para se reunirem na área. Segundo a CNN, estiveram cerca de 100 pessoas no local a gritar por justiça.

  • 2:07