Mundo

EUA levantam sanções de Trump ao Tribunal Penal Internacional

Octavio Jones

O Presidente Biden "revogou" a ordem executiva presidencial de junho passado que permitia a punição dos juízes do TPI.

A administração norte-americana de Joe Biden levantou esta sexta-feira as sanções contra juízes e funcionários do Tribunal Penal Internacional (TPI) impostas pelo anterior Presidente, Donald Trump.

O chefe da diplomacia norte-americana, Antony Blinken, disse numa declaração que os Estados Unidos continuavam a opor-se à vontade do tribunal de investigar o Afeganistão ou Israel, mas acrescentou que Washington queria abordar estes casos "através do diálogo com todos os intervenientes no processo relacionado com o TPI e não através da imposição de sanções".

O Presidente Biden "revogou" a ordem executiva presidencial de junho passado que permitia a punição dos juízes do TPI, "pondo fim à ameaça" de sanções económicas e restrições de vistos, anunciou Blinken.

"Como resultado, as sanções impostas pelo anterior governo contra a procuradora Fatou Bensouda" e outro funcionário, Phakiso Mochochoko, "foram levantadas", acrescentou, bem como várias restrições de vistos impostas em 2019 contra membros do Tribunal de Haia. "Estas decisões refletem a nossa análise de que estas medidas foram inadequadas e ineficazes", insistiu.

Trump autorizou sanções económicas contra responsáveis do TPI

O então Presidente norte-americano Donald Trump autorizou, em junho de 2020, a imposição de sanções económicas a qualquer responsável do Tribunal Penal Internacional (TPI) que investigue militares norte-americanos ou os acuse "sem o consentimento dos Estados Unidos".

"Apesar dos apelos repetidos dos Estados Unidos e dos nossos aliados para uma reforma, o TPI não fez nada para se reformar e continua a fazer inquéritos motivados politicamente contra nós e contra os nossos aliados, como Israel", afirmou, na altura, a administração norte-americana em comunicado.

Esta decisão surgiu depois de em março o tribunal de Haia ter autorizado a abertura de um inquérito por crimes de guerra e contra a humanidade no Afeganistão, apesar da oposição da administração Trump.

O inquérito solicitado pela procuradora Fatou Bensouda visa averiguar, entre outros, alegados abusos de soldados norte-americanos no país, onde os Estados Unidos mantêm uma presença militar desde 2001. Foram também feitas alegações de tortura contra a CIA.

Inicialmente, os juízes do TPI tinham recusado autorizar a investigação após uma ameaça de sanções dos Estados Unidos, que não fazem parte do TPI.

O Presidente norte-americano "autorizou também a extensão das restrições de visto" para os responsáveis e seus familiares.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão