Mundo

Onda de protestos em Espanha após jovem homossexual de 24 anos ser espancado até à morte

Bernat Armangue

Em Madrid, milhares de pessoas concentraram-se na Praça do Sol contra a homofobia.

A morte de um jovem homossexual de 24 anos, em Espanha, está a motivar uma onda de protestos contra a homofobia. Em Madrid, milhares de pessoas concentraram-se na Praça do Sol para apelar ao fim do ódio, intolerância e discriminação.

Samuel Muñiz foi agredido até à morte por um grupo de homens, à entrada de uma festa, na cidade da Corunha, na região da Galiza. O jovem estava a fazer uma ligação em vídeo, quando um grupo de homens o abordou e o agrediu violentamente. Segundo a polícia, pelo menos sete pessoas começara a espancar e pontapear Samuel Muñiz, que não se conseguiu defender, avança o El País.

Uma amiga da vítima partilhou na rede social Twitter que Samuel Muñiz tinha sido assassinado “por causa da sua orientação sexual”. O morte do jovem desencadeou uma onda de protestos organizado pela comunidade LGTBQIA+. Várias manifestações foram convocadas em diferentes cidades de Espanha contra a intolerância e a discriminação e pelo fim do ódio.

A polícia ouviu diversas testemunhas do crime e afirma que as motivações homofóbicas estão a ser consideradas na investigação. José Miñones, citado pelo El País, garante que “nenhuma outra hipótese está descartada”.

“Peço prudência e responsabilidade diante desses fatos absolutamente condenáveis e a brutal agressão a Samuel. Não podemos permitir essa violência em nossa sociedade”, disse ainda o delegado.

Foram identificadas 13 pessoas pelas autoridades, das quais sete são suspeitos de terem agredido o jovem e seis por não intervirem.

Veja mais: